Mevlüt Çavusoglu acrescentou que esta faixa será controlada pelas tropas turcas.

“Os Estados Unidos aceitaram a zona de segurança e há um acordo total de que as forças armadas turcas controlarão essa área”, disse Çavusoglu em conferência de imprensa em Ancara, logo após o vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, anunciar um acordo para a suspensão da ofensiva turca no nordeste da Síria

O vice-Presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, anunciou hoje em Ancara que a Turquia concordou suspender a sua ofensiva no nordeste da Síria, que terminará quando as forças curdas retirarem da região.

O anúncio foi feito após as conversações que manteve, acompanhado pelo chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, com o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

No decurso de uma conferência de imprensa na capital turca, Pence precisou que a Turquia vai interromper a sua ofensiva no norte da Síria durante cinco dias e pôr termo à incursão militar após uma retirada das forças curdas dessa região e durante esse prazo.

A ofensiva turca “vai terminar completamente quando terminar essa retirada” durante o período de suspensão, declarou aos ‘media’ após mais de quatro horas de conversações com Recep Tayyip Erdogan.

O objetivo da operação militar desencadeada em 09 de outubro consiste em criar uma “zona de segurança” de 32 quilómetros de profundidade e 480 quilómetros de comprimento ao longo da fronteira entre a Turquia e Síria para manter as Unidades de Proteção Popular (YPG, as milícias curdas que Ancara considera “terroristas”) à distância e repatriar parte dos 3,6 milhões de refugiados sírios que atualmente vivem no território turco.

A ofensiva turca surgiu após o anúncio de Donald Trump de que as tropas dos Estados Unidos iam abandonar a zona em causa.

A ofensiva de Ancara abriu uma nova frente na guerra da Síria que já causou mais de 370.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados desde que foi desencadeada em 2011.

Se essas milícias curdas cumprirem este acordo, a Turquia vai conseguir alcançar o objetivo que levou à incursão militar por terra e ar.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que a Turquia precisava de uma “mão forte” para declarar um cessar-fogo na sua ofensiva contra as milícias curdas.

“Este acordo nunca poderia ter sido feito há três dias. Eles precisavam (os turcos) de ‘mão forte’ para alcançá-lo. Bom para todos. Orgulhosos de todos”, disse Trump, numa mensagem na rede social Twitter.

O Presidente dos Estados Unidos acrescentou que “milhares de vidas serão salvas”.

“Este é um ótimo dia para a civilização. Tenho orgulho dos Estados Unidos por ficarem comigo quando se trata de seguir a via necessária, mas que ao mesmo tempo não é a mais convencional. As pessoas estavam a tentar alcançar este acordo há muitos anos”, acrescentou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.