Uma organização sem fins lucrativos tem planos para criar uma biblioteca na Lua, em que os primeiros conteúdos serão fornecidos pelo arquivo inglês da Wikipedia. O plano não passa por construir estantes e armazenar livros nas suas prateleiras. Em vez disso, a Arch Foundation quer gravar milhões de artigos da enciclopédia digital em pequenas folhas metálicas, mais finas do que um cabelo humano. Desta forma, afirma a ONG, será possível fazer chegar ao satélite natural um pacote do tamanho de um CD, com milhões de páginas comprimidas.

Marte aqui tão perto quando ir ao Espaço já esteve tão longe
Marte aqui tão perto quando ir ao Espaço já esteve tão longe
Ver artigo

A organização, fundada em 2015, esclarece que o objetivo da missão é começar a fixar arquivos sobre a atividade humana em diferentes locais do "bairro cósmico" em que vivemos, de forma a despertar a curiosidade das pessoas para temáticas relacionadas com o espaço.

Nova Spivack, co-fundador da Arch, disse ao The Verge que este é um projeto que almeja "arquivar os feitos da civilização humana no sistema solar", de forma a que "o nosso conhecimento, a nossa arte, as nossas línguas e a nossa história" tenha um "backup deslocado" do planeta em que vivemos. A ideia é que estes arquivos perdurem no tempo, de forma a que possam ser descobertos e consultados pelos humanos do futuro.

tek arch

Para concretizar este projeto, a ONG celebrou uma parceria com a Astrobotic, uma empresa que quer tornar-se na primeira organização a realizar um serviço de entregas entre a Terra e a Lua. A tecnológica quer realizar o primeiro lançamento de teste em 2020, mas o plano está dependente de aprovação governamental. As páginas deverão rumar ao espaço por esta altura.

Spivack sublinha que a biblioteca vai contar com artigos populares escritos em outras línguas, tal como o Rosetta Project, um arquivo digital que conta com mais de 1.500 línguas humanas. O responsável afirma ainda que o público vai poder ajudar a organização a decidir que conteúdos vão fazer parte deste primeiro arquivo.

tek ong arch
Note que o armazenamento de dados é muito mais difícil de concretizar no espaço, onde o ambiente hostil apresenta várias ameaças à preservação destes conteúdos. Para fazer frente a estas dificuldades, a organização aperfeiçoou uma tecnologia de gravação a laser em discos de quartzo mineral, que deverá conferir a estas pequenas folhas a resistência suficiente para permanecerem legíveis durante vários anos. Na missão lunar, contudo, o quartzo vai ser substituído por pequenos quadrados de níquel, uma vez que o "material não oxida" nem "sofre com o impacto dos raios cósmicos". Cada folha vai medir cerca de 1,7 centímetros e terá capacidade para armazenar o conteúdo de 16 mil páginas da Wikipedia. Ao todo, serão enviadas cerca de 50 milhões de páginas para a Lua.

Esta é apenas uma das muitas missões que a Arch Foundation planeia concretizar ao longo dos próximos anos. Apesar de querer adensar esta biblioteca lunar, a ONG está também a desenvolver a ideia de criar um arquivo semelhante em Marte.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.