É já hoje que a Apple vai dar a conhecer ao mundo todas as novidades sobre os produtos que tem estado a desenvolver num evento especial, transmitido diretamente do Apple Park em Cupertino, na Califórnia. A revelação está marcada para as 18h (hora de Lisboa), num livestream no canal do YouTube da Apple, e pode acompanhá-la em direto com o SAPO TEK.

Sob a temática "Time Flies", Tim Cook deu mais uma vez as boas-vindas, prometendo novidades, numa altura em que a COVID-19 obrigou a população mundial a adaptar-se à nova realidade, ficando em casa, seja a estudar como a trabalhar. E a Apple refere que tem responsabilidade em tocar a vida das pessoas, focando-se em dois produtos essenciais: Apple Watch e iPad.

Apple Watch Series 6

Começando pelo Apple Watch, Tim Cook refere que utiliza o acessório para ver a temperatura, receber as notificações das atividades que tem na sua agenda durante o dia. E claro, regista os seus dados de fitness, assim como aceder a stream de música. Tim Cook destaca as mensagens que a empresa recebe de utilizadores a partilhar como o sistema de electrocardiograma do Apple Watch salvou a sua vida, ao lançar-lhe um alerta, a tempo de ser socorrida. Investigadores americanos têm usado o Apple Watch para observar sinais de stress dos médicos que estão a combater a COVID-19, ajudando a antecipar também problemas de saúde.

Jeff Williams revelou que o novo modelo tem um novo sistema de monitorização de sono, assim como a lavagem das mãos, integrados no novo sistema operativo. O novo sistema consegue registar picos cardíacos durante a sua monitorização, de forma a prever problemas do coração. O Apple Watch Series 6 tem a maior palete de cores disponíveis, entre azul, cinzento e a estreia do vermelho.

O novo sensor consegue medir a pressão de oxigénio no sangue em apenas 15 segundos. Consegue mesmo medir durante o sono, caso o utilizador durma com o mesmo. Os técnicos de saúde referem que a pressão de oxigénio no sistema circulatório é um dos sinais de alerta que devemos ter em conta. A empresa tem trabalhado com a Universidade da Califórnia para aprofundar a sua tecnologia relacionada com os sensores cardíacos, mas também tem parcerias com outros hospitais para ajudar na investigação da COVID-19.

Dentro do smartwatch tem um processador dual core otimizado, sendo mais potente que o anterior modelo. Tem um altímetro, que informa os utilizadores da altura em que se encontram, ajudando também a medir a pressão do oxigénio em diferentes níveis. Outra novidade são os diferentes perfis de estilo dos ecrãs, com designs focados em ferramentas que pode usar, tais como cronómetros. E há mesmo um tema dedicado do Watch Faces, em que tem sempre presente um emoji animado. É possível personalizar os ecrãs mediante a sua profissão, com ferramentas.

A bracelete é feito de uma solução de silicone, produzida numa única peça, disponível em sete cores. E há variações da bracelete, de diferentes formatos e texturas, todos eles com a promessa de serem confortáveis e duradouras.

O sistema operativo tem agora uma nova ferramenta familiar, chamada Familiar Setup, que comunica entre o smart watch e o iPhone, para definir com que contactos as crianças podem atender chamadas e conversar. As crianças podem mesmo criar o seu próprio emoji e há ferramentas de concentração que os pais podem definir, como por exemplo, bloquear o relógio durante o horário escolar.

O Apple Watch SE é um modelo que segue a mesma filosofia do iPhone SE, sendo mais acessível, começando nos 309 euros. Já o modelo principal, o Apple Watch Series 6 tem um preço que começa nos 439 euros. Os smart watches já podem ser pré-encomendados a partir de hoje, e estarão à venda na sexta-feira.

A acompanhar o novo smartwatch, a Apple apresentou ainda um novo serviço que mistura fitness com música, para que possa manter-se em forma com personal trainers. Chama-se Fitness+ e permite registar todas as métricas durante os exercícios. Há um catálogo de vídeos com treinadores, sincronizados com o smartwatch, nomeadamente as métricas que estão a ser mostrados no ecrã. Sempre que o treinador pede uma métrica, estes são mostrados no ecrã, sejam as calorias queimadas, o ritmo cardíaco, entre outras. Tem ioga, dança, ciclismo, força, remos e mesmo exercícios de mindful, entre outros. O serviço pode ser usufruindo em casa ou em viagem, na praia, jardim ou onde quiser, com a promessa de novos conteúdos semanalmente. e como referido, se tiver uma subscrição de Apple Music, pode escolher a banda-sonora para os seus exercícios. O serviço chegará no final do ano a alguns países, por uma mensalidade de 9,99 euros.

Confirmado o serviço unificador da Apple, chamado Apple One, que inclui jogos, música, notícias e o novo Fitness+. O plano individual custa 14,95 dólares e inclui iCloud, Apple Music, Apple TV+, Apple Arcade. O plano familiar custa 19,95. O Apple One chega no final do ano.

iPad (oitava geração) e novo iPad Air

Na comemoração dos 10 anos do iPad, Tim Cook revela que vendeu 500 milhões de unidades em todo o mundo. É considerado o produto número desde sempre no que diz respeito à satisfação dos seus clientes. A gigante de Cupertino atualizou o seu tablet de oitava geração com o novo chip A12 Bionic, com um GPU de quatro núcleos, desenhado para ser mais rápido a jogar ou a trabalhar. A Apple afirma que é 2X mais rápido que o portátil mais vendido do mercado e 3X mais rápido que o melhor tablet Android. O Neural Engine chega pela primeira vez ao iPad, capaz de produzir 5 biliões de processos.

O novo iPad funciona com os seus teclados já lançados, assim como a linha da Logitec. A Apple refere que o toque no ecrã, através do Scribble, permite um reconhecimento da escrita natural através do Apple Pencil. O novo iPad de oitava geração custa 399 dólares, mas para os estudantes será de 299 dólares. Já pode ser pré-encomendado e será lançado nas lojas esta sexta-feira.

Há também um novo iPad Air no catálogo da empresa. Tem touch ID, integrado num botão no topo vertical do tablet, para maior segurança. o seu sensor permite desbloquear o sistema ou fazer pagamentos. O iPad Air tem o novo chip A14 Bionic de 6 núcleos, sendo o primeiro da industria a utilizar um chip de 5 nanómetros, com 11,8 mil milhões de transístores no seu interior. Trata-se de uma arquitetura que a fabricante acredita correr as aplicações mais exigentes, com um aumento de 40% de performance em relação à geração anterior do iPad Air. Tem uma performance gráfica de 2X melhor que o anterior, seja para jogar jogos ou editar vídeos ou música.

Dando exemplos, um produtor de música e DJ, conseguiu editar música e fazer "scretch" dos discos apenas com movimentos da mão. Na edição de vídeos e imagens, e também nos videojogos, as texturas são agora mais suaves com o novo chip A14. O novo iPad tem uma câmara frontal de 7 MP, smart HDR e captura até 1080p. Atrás tem uma lente 12 MP, grava vídeos 4K a 60 FPS, juntamente com um sistema de estabilização digital. E introduz USB-C com carga de 40W. O seu ecrã de 10.9 polegadas mantém-se, permitindo obter uma resolução de 2360x1640.

O iPad Air tem cinco cores ( branco, cinzento, rosa, verde e azul) e chega ao mercado no próximo mês a partir de 599 dólares, atualizado com o novo iPadOS 14. O equipamento é compatível com anteriores acessórios, nomeadamente o Apple Pincel e o Magic Keyboard.

A partir de amanhã, a Apple tem também agendado o lançamento das novas versões dos sistemas operativos dos seus equipamentos. Todos os novos equipamentos serão lançados com a nova atualização.

Antevisão: O que podemos esperar do Apple Special Event?

A expetativa em torno do Apple Special Event 2020 é grande. Embora haja uma grande possibilidade da revelação do iPhone 12 “fugir” à habitual regra e só acontecer em outubro, a pista deixada pela empresa da maçã no próprio convite para o evento, “Time Flies” (ou “O tempo voa” em português),  dá a entender que as peças centrais serão a mais recente linha de Apple Watches e novo iPad Air 4.

De novos relógios inteligentes a um iPad Air 4: Todas as novidades que a Apple poderá revelar amanhã
De novos relógios inteligentes a um iPad Air 4: Todas as novidades que a Apple poderá revelar amanhã
Ver artigo

No que toca ao novo Apple Watch Series 6, rumores avançados pelo website 9to5Mac indicam que o relógio contará com funcionalidades de registo dos níveis de saúde ainda mais avançadas. Espera-se, por exemplo, a inclusão de um sensor SpO2, semelhante ao que existe no novo Galaxy Watch3, que é capaz de medir os níveis de oxigénio no sangue. Há também rumores que afirmam que terá um leitor de impressões digitais no seu display ou ainda um sensor de temperatura.

Já a quarta geração do iPad Air poderá ter um ecrã total de 11 polegadas, em linha com o mais recente iPad Pro. Ainda no final de agosto, surgiu no Twitter aquele que poderá ser um manual de utilizador do novo equipamento e que revela que terá suporte à tecnologia de autenticação Face ID da Apple em vez do Touch ID. No seu interior, o novo iPad Air 4 poderá contar com o mesmo processador A14 do iPhone 12.

Mas não é tudo: a Apple pode apresentar também as AirTags. As etiquetas inteligentes, podem ser colocadas em produtos físicos, como por exemplo uma carteira, para que sejam fáceis de localizar, caso sejam perdidos.

Apple WWDC 2020: iOS, iPadOS e macOS renovados. Apple Silicon é a nova arquitetura para os futuros Macs
Apple WWDC 2020: iOS, iPadOS e macOS renovados. Apple Silicon é a nova arquitetura para os futuros Macs
Ver artigo

Além de novos headphones fora da gama Beats, uma pequena coluna HomePod e uma nova Apple TV com um processador mais rápido para melhor experiência de jogos, espera-se que a Apple faça a apresentação oficial dos novos sistemas operativos dos seus equipamentos, depois de terem sido revelados pela primeira vez no WWDC 2020 em finais de junho.

Nota de redação: Artigo atualizado às 19:35 com mais informações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.