“Tenho inveja da Nintendo”, afirmou Gabe Newell, o fundador da Valve, uma das maiores empresas ligadas aos videojogos e ao Steam, a maior plataforma de distribuição digital de títulos para o PC. O desabafo referiu-se à capacidade da gigante nipónica em desenvolver software e hardware em simultâneo, numa simbiose perfeita para oferecer as melhores experiências.

O discurso serviu como introdução para o novo jogo da Valve, um título de cartas chamado Artifact, baseado no universo de personagens criadas para Dota 2. Gabe Newell confessou que a sua longa ausência no desenvolvimento e distribuição de jogos foi colocado para um segundo plano para se focar na plataforma Steam e no desenvolvimento de hardware (as Steam machines, comandos e diversos acessórios para jogos) como “um investimento para o futuro”.

Ainda que tenha sido a apresentação de Artefact, o que mais chamou à atenção foi o facto do patrão da Valve ter referido que outros títulos estão a caminho, ainda que enigmático como sempre, não referiu quais. O último jogo da editora foi DoTA 2 em 2013.

A Valve tem uma enorme dívida com os fãs no que diz respeito às suas séries principais. Half-Life por exemplo, teve direito a dois títulos e mais dois episódios do que seria uma trilogia, mas a editora nunca lançou o terceiro capítulo, deixando a história pendurada num aparatoso “cliff hanger” desde 2007. Portal 2, Left 4 Left 2, DoTA 2 e Team Fortress 2 são jogos que os fãs esperam por continuações e que a empresa se recusa em anunciar, valendo a Gabe Newell a fama de ser “incapaz” de contar até três…