O responsável fez estas declarações após a assinatura de um protocolo e cooperação entre a CVTelecom e Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), na cidade da Praia.

“O 4G está a funcionar bem. Não sou eu que o digo, nós temos todos os dias, acções de recolha de informações, seja através do nosso contacto-center, seja através das próprias reclamações que recebemos dos nossos clientes, mas, também, através de inquéritos que nós fazemos aos nossos clientes. Portanto, aquilo que nos dizem é que temos uma boa capacidade de cobertura”, afirmou.

Segundo José Luís Livramento, a cobertura 4G da CVTelecom “quase que já chega a 40% da população”, numa velocidade “muito forte”.

“A nível do caderno de encargos com a ARME, há uma exigência mínima de 6 megas, mas nós estamos acima dos 10 megas, 15 megas e às vezes até 20, 30 megas quando a carga é menor”, acrescentou.

Portanto, frisou o PCA da CVTelecom que essa velocidade “varia com a carga”, daí que a empresa vai “continuar a investir muito fortemente” no 4G.

Entretanto, frisou o responsável que a empresa já tem o programa de investimento, para este ano de 2020 e já está a pensar em dotar Cabo Verde do 5G.

“Respondendo ao apelo do governo para que estejamos sempre na crista da onda e para que não aconteça aquilo que aconteceu com o 4G, que é sermos um dos últimos países a tê-lo”, disse.

Para que não aconteça isso, José Luís Livramento afirmou que o governo está a apostar em trazer rapidamente o 5G e que “a CVTelecom está a responder a isso e já tem planos para o 5G ainda para este ano”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.