A Samsung inaugurou esta segunda-feira aquela que é a maior fábrica de smartphones do mundo. A infraestrutura está localizada na Índia, mais propriamente em Noida, na periferia de Nova Deli, a capital.

O evento de inauguração contou com a presença do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in.

A gigante tecnológica sublinha que esta fábrica tem capacidade para produzir cerca de 120 milhões de smartphones por ano. Para já, e de acordo com a Bloomberg, a Samsung deverá recorrer às novas linhas de produção para garantir a montagem de modelos de gama baixa e de alguns flagships, como o novo Galaxy S9.

[caption]tek samsung[/caption]
South Korean President Moon Jae-in and Indian Prime Minister Narendra Modi shake hands after inaugurating the Samsung Electronics smartphone manufacturing facility in Noida, India, July 9, 2018. REUTERS/Adnan Abidi

Como nota a imprensa internacional, a Índia é um dos maiores mercados do mundo no segmento dos telemóveis. Mas com "apenas" 400 milhões de utilizadores ativos, a Samsung tem ainda um segmento composto por 900 milhões de potenciais clientes por explorar.

Segundo a IDC, as fabricantes venderam cerca de 124 milhões de smartphones durante o ano de 2017. O número é ligeiramente superior à capacidade de produção desta nova fábrica, o que atesta às intenções que a marca terá para voltar à mó de cima neste segmento. Recorde-se que recentemente, a Xiaomi ultrapassou a Samsung como a maior vendedora de telemóveis na Índia, e numa vertente internacional, a tecnológica sul-coreana também tem vindo a perder terreno para as concorrentes chinesas.

Outra dos factores que explica este investimento da Samsung prende-se com uma das políticas protecionistas de Modi, que defende o desenvolvimento e o consumo de bens fabricados na Índia. A política fez subir as tarifas aplicadas sobre bens importados em diferentes categorias, sendo que os equipamentos de comunicação estão incluídos. Desta forma, a Samsung conseguirá escapar à tributação adicional.