O programa Cabo Verde Digital, apoiado pelo Governo de Cabo Verde, quer reforçar a área do digital e apostar nos jovens, afirmou ontem o secretário de Estado da Inovação do país, na apresentação da iniciativa.

"O Cabo Verde Digital é uma vontade de reforçar o treino e a capacitação na área do digital e reforçar também o ecossistema de empreendedores em Cabo Verde no setor digital", começou por explicar Pedro Lopes na apresentação da iniciativa, em Lisboa, frente a uma plateia com mais de 200 pessoas.

O secretário de Estado cabo-verdiano referiu que a presença de Cabo Verde na cimeira tecnológica Web Summit, na qual o país foi a única nação africana representada, foi "apenas uma concretização forte de juntar a comunidade e de um anunciar do Cabo Verde Digital".

Pedro Lopes detalhou que o programa conta com três objetivos principais: aproveitar a posição geográfica do arquipélago e os seus recursos, apoiar e dinamizar o capital humano local, e atrair a diáspora cabo-verdiana no estrangeiro.

"Os nossos jovens têm o engenho, têm capacidade, têm vontade de fazer, mas precisam de um apoio, e nós, com o Cabo Verde Digital, vamos apoiar, que sejam melhor capacitados, estejam ainda mais disponíveis para abraçar os desafios dos mercados internacionais, mas também dar um apoio ao empreendedorismo digital em Cabo Verde", vincou o responsável governamental.

Conceptualizada está também a criação de uma bolsa, através da qual serão fundadas cerca de 50 empresas tecnológicas em Cabo Verde, a que se junta a formação, para a programação, de 100 jovens no espaço de um ano.

João Borga, da Startup Portugal, elogiou o trabalho realizado em Cabo Verde.

"Encontrei um Estado com sistemas de ‘e-governance’ e com produtos desenvolvidos para servir o cidadão que rivalizam com os melhores Estados da Europa", disse João Borga, sobre uma visita que fez a Cabo Verde, acrescentado que encontram na Startup Portugal um parceiro "por muitos anos".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.