O Japão lançou hoje com êxito o quarto e último satélite da sua rede de localização terrestre, para melhorar os atuais serviços de GPS e criar um sistema de comunicações em caso de desastre natural.

A Agência Aeroespacial do Japão (JAXA) e a empresa Mitsubishi Heavy Industries lançaram o satélite de comunicações Michibiki 4 a bordo de um foguetão nipónico H-IIA, a partir do centro espacial da ilha de Tanegashima, situada na prefeitura de Kagoshima, no sudoeste do país, às 07:01 (hora local).

O lançamento e o voo do veículo espacial decorreram “conforme planeado”, tal como sucedeu com a separação do satélite, “confirmada aproximadamente 28 minutos e 20 segundos depois do lançamento”, informou a JAXA num comunicado.

Trata-se do segundo aparelho deste tipo que o Japão lança no âmbito do seu sistema de satélites que operam a uma altitude de entre 33.000 e 39.000 quilómetros sobre a Terra, e cuja função é corrigir os sinais de navegação global para uso complementar do sistema de posicionamento global (GPS) norte-americano.

O primeiro Michibiki (termo que pode ser traduzido como ‘guia’ ou ‘orientação’) foi lançado em setembro de 2010.

Com esta rede, os utilizadores de ‘smartphones’ e de assistentes de navegação em veículos vão receber informação mais precisa sobre os mapas das aplicações.

O GPS, propriedade dos Estados Unidos, tem uma margem de erro de cerca de dez metros, a qual será reduzida a entre um metro e seis centímetros quando os dois sistemas funcionarem em simultâneo.

O Governo japonês planeia, além disso, utilizar estes satélites para estabelecer uma rede que garanta as comunicações quando as redes tradicionais deixarem de funcionar devido a um desastre natural.

Neste âmbito, tem previsto lançar mais três satélites até 2023, os quais irão complementar os quatro da sua rede de posicionamento para o estabelecimento deste sistema de emergência.

Lusa