Uma patente registada recentemente pela Google sugere que a empresa também está a desenvolver displays dobráveis. A tecnologia parece estar prestes a levantar voo, com a ajuda de empresas como a Samsung e a Huawei, e a gigante norte-americana aparenta não querer ser apanhada de surpresa num segmento potencialmente multimilionário, sem qualquer produto para apresentar.

O documento foi descoberto pela Patently Mobile, e descreve uma nova forma de construir ecrãs OLED que podem ser repetidamente dobrados.

Tal como sublinha a imprensa internacional, o que é interessante nesta patente, é que a Google não produz quaisquer ecrãs sob a sua marca. Recorde-se que, atualmente, a empresa recorre ao outsourcing para garantir o fabrico dos seus próprios smartphones. Isto significa que, apesar de interessada em desenhar e planificar o produto, a empresa pode acabar por licenciar a tecnologia a uma outra entidade para que esta a produza em seu nome.

É de notar que a patente revela um ecrã com duas dobras, sendo que pode ser dobrado em "z", tal qual um panfleto de três partes. A técnica parece diferir das estratégias que têm sido adotadas pelas marcas que estão a operar no segmento, que preferem aderir à dobradiça única, posicionada a meio do equipamento, ou, em alternativa, à dupla dobradiça, que permite que as partes exteriores dobrem para dentro e para o mesmo lado do telefone, ao contrário daquilo que a Google concebe aqui.

É de salientar que a patente não refere a palavra "smartphone", pelo que a tecnologia pode até chegar na forma de outro equipamento eletrónico qualquer.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.