A Google anunciou que, a partir de março de 2020, os utilizadores europeus de novos smartphones Android poderão escolher um motor de busca alternativo àquele que a empresa disponibiliza por predefinição. A decisão tomada pela gigante de Moutain View em 2019 entra este ano em vigor em 31 países da Europa, os quais poderão escolher entre três opções diferentes, consoante o leilão realizado pela empresa. Em Portugal, os utilizadores podem optar entre o DuckDuckGo, o Info.com e o Qwant.

A decisão surge depois de três multas aplicadas pela Comissão Europeia à Google, a última em março do ano passado. No entanto, a coima mais pesada data de julho de 2018, altura em que a CE voltou a acusar a Google de abuso de sua posição dominante no mercado, defendendo que através do sistema operativo Android obriga os fabricantes de smartphones a instalar por defeito o seu motor de busca Chrome.

Em março de 2019, a empresa tinha já dado a entender que uma mudança estaria para chegar. Como resposta à multa de 1,49 mil milhões de euros, tanto os novos dispositivos Android, como os já existentes, passaram a perguntar aos seus utilizadores qual o browser de navegação na internet deseja instalar no dispositivo na Europa. Além disso, passa a criar licenças separadas para o Google Play, Chrome e a sua ferramenta de Search, como é referido no blog da fabricante.

[caption]Novas opções de motores de busca para novos dispositivos Android[/caption]

De acordo com o sistema previamente estabelecido pela gigante tecnológica, de cada vez que um dos motores de pesquisa alternativos for selecionado como a opção predefinida num smartphone Android, a empresa em questão terá de pagar uma determinada quantia à Google.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.