Nesse âmbito arrancou hoje, 05, a maratona “uma hora do código” envolvendo todas as Web Labs instaladas nas escolas do país, abrangendo cerca de seis mil alunos dos 12 aos 17 anos de idade, conforme indicou a coordenadora do projeto Webs Labs, Luísa Chantre.

“Uma hora de código decorre em todas 43 webs labs espalhadas pelo país, de Santo Antão à Brava e consiste em dar oportunidade aos alunos inscritos previamente no site, a possibilidade de codificar durante uma hora”, disse indicando que neste momento decorrem nas WEB labs três cursos, designadamente em html, robótica e instrumentação.

O início da maratona foi acompanhado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e pelo secretario de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, na escola secundária Regina Silva na Cidade da Praia.

O chefe do Governo enalteceu a iniciativa, indicando que as Web Lab criam condições para que os jovens cabo-verdianos e os alunos do ensino secundário tenham acesso às tecnologias, à computação, à programação e à confeçção de aplicações informáticas e prepararem-se para o futuro.

“Estamos a falar em áreas com alto nível de empregabilidade. E estamos a começar muito cedo. Vamos depois trabalhar para que o ensino básico possa ser um dos alvos da WEB lab. Vamos permitir que esses jovens estejam bem preparados e possam ter uma ferramenta que hoje é fundamental”, disse.

Segundo o primeiro-ministro com garantia do domínio das línguas junto com a ciência da computação os jovens cabo-verdianos estarão preparados para enfrentar os desafios futuros e o país ganhará com isso.

“Não estamos a falar de um futuro muito longínquo, mas de um futuro próximo, de uma juventude muito mais preparada para apoiar o desenvolvimento do país e para integrar o mercado de trabalho”, sublinhou.

Cabo Verde conta, neste momento, com 43 WEB labs instaladas em 43 agrupamentos, representando uma cobertura de cerca de 87%.

A intenção do Governo, conforme o primeiro-ministro, é criar as condições para que no próximo ano letivo se possa atingir a cobertura 100%, ou seja, ter todos os agrupamentos escolares com as WEB Labs.

“A cobertura é em todas as ilhas e vamos ter que massificar porque como disse, é um grande investimento com retorno assegurado”, sustentou Ulisses Correia e Silva.

Uma hora de Código foi levado a cabo através de uma parceira entre a Secretaria de Estado para Inovação e Formação Profissional, O Parque Tecnológico através do NOSI e o Ministério da Educação.

O país passa agora a realizar esse evento todos os anos, à semelhança do que já acontece em vários países de todos continentes.