Enquanto a Administração Federal de Aviação (FAA) norte-americana avalia as políticas de restrição que incidem sobre a operação de veículos voadores não tripulados nos Estados Unidos, a Amazon vai dando passos em frente no projeto de entregas com drones.

O mais recente avanço diz respeito à patente que ilustra a tecnologia da chamada “fragmentação direcionada de veículos aéreos não tripulados", ou seja, a destruição controlada dos drones.

Caso seja necessário e de acordo com a situação, um controlador assume o aparelho, e, antes de ser iniciada a sequência da fragmentação, analisa fatores como a trajetória do drone, a região sobre a qual está a voar e as condições de voo.

Assim, os controladores podem determinar qual é a melhor forma de destruir o aparelho, reduzindo as hipóteses dos fragmentos ferirem alguém ou danificarem uma propriedade.

Recorde-se que a primeira demonstração pública de uma entrega autónoma da Amazon nos EUA aconteceu em março deste ano, a qual foi supervisionada pela FAA, uma vez que as regulações norte-americanas ainda não permitem à Amazon realizar este tipo de operação "sem ninguém do outro lado".