O governante, que falava esta manhã, na Praia, em conferência de imprensa, para fazer uma análise da reunião do Conselho de Ministros da quinta-feira, adiantou que a partir dessa data um produtor de Santo Antão vai poder transportar o seu produto para a ilha do Sal, permitindo assim, ter o maior número de volume, de receitas e criação de emprego.

Segundo Gilberto Barros, neste momento Cabo Verde está num período de transição onde cada vez será o investimento do sector privado o motor do desenvolvimento do país.

Em Outubro de 2018, refira-se, o Governo anunciou que o grupo português Transinsular venceu o concurso público internacional para a gestão e exploração do serviço público de transporte marítimo de passageiros e carga entre as ilhas de Cabo Verde.

Em Março deste ano, o Governo e a Transinsular assinaram o contrato de concessão do serviço público de transporte marítimo de passageiro e carga.

Questionado sobre os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), segundos os quais o Produto Interno Bruto (PIB) do país registou no 1º trimestre de 2019 uma variação homóloga de 5,2%, em termos reais, taxa inferior em 3,0 pontos percentuais (p.p.) à verificada no 4º trimestre de 2018, Gilberto Barros considerou que esse aumento deve ser visto mais de forma positiva sendo que o arquipélago está a crescer muito mais do que a economia mundial.

Sobre o facto do Estado continuar a ser o principal contribuinte para o crescimento do PIB, o governante disse que estão numa fase de transição e que os números mostram que a economia vai crescer mais, graças ao financiamento da economia através do sector privado e as reformas estruturantes levadas a cabo pelo executivo.

De acordo com as contas trimestrais, divulgadas hoje pelo INE, esta evolução resultou do maior contributo das despesas do consumo final e das exportações.

O consumo final registou uma variação homóloga positiva de 8,8% no 1º trimestre de 2019 (1,6% no trimestre anterior).

“O consumo privado aumentou 5,3%, em termos reais no 1º trimestre de 2019, o que traduziu numa aceleração face ao crescimento de 3,8% observado no 4º trimestre de 2018. O consumo público apresentou uma taxa de variação homóloga de 20,8% (variação de – 6,0% no trimestre anterior)”, refere o documento.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.