Uma informação, avançada à Inforpress, primeiramente pela responsável da agência de vendas de bilhetes, no Porto Grande do Mindelo, mas que disse que ainda não era nada garantido, uma vez que a decisão foi tomada hoje e ainda estavam à espera de mais informações da concessionária, Cabo Verde Interilhas (CV Interilhas).

“Nós aqui só vendemos passagens, mas é a empresa que tem que tomar a decisão, mas, amanhã com certeza o barco não viajará”, esclareceu a funcionária, que remeteu a Inforpress para mais informações junto do serviço de marketing da CV Interilhas.

Confrontado, o gestor de comunicação e marketing da empresa, Jorge Martins, garantiu tal viagem a partir das 18:30, estando também em concertação com o Governo para a necessidade de se realizar outras mais.

“As medidas decretadas pelo Governo de Cabo Verde em relação ao combate à pandemia Covid-19, serão integralmente respeitadas e acatadas pela CV Interilhas, unindo assim os esforços para proteger os cidadãos e o próprio país”, sublinhou Jorge Martins, acrescentando que a empresa “associou-se incondicionalmente” na implementação das medidas das autoridades do país para “combater e vencer esta epidemia”.

Os bilhetes para a viagem na tarde de hoje, às 15:00, estavam esgotados, tal como o próprio aviso colocado na porta da agência.

No cais de cabotagem, o cenário era de muita gente à espera de conseguir de adquirir uma passagem para viajar para Santo Antão e que estavam em fila, sem cumprir a medida de segurança para distanciamento, de pelo menos um metro.

O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, após a situação de risco de calamidade em relação ao novo coronavírus, declarada hoje pelo Governo no País, anunciou a interdição dos voos inter-ilhas e das viagens de barco, para o transporte de passageiros a partir das 00:00 desta sexta-feira.

Entretanto, deixou claro que o fornecimento de bens alimentares, bens de primeira necessidade e medicamentos “continuará normalmente”, mas que “as pessoas não poderão circular” por um determinado período, sendo esta “a melhor forma de combater o vírus”.

Ulisses Correia e Silva anunciou hoje “situação de risco de calamidade” no País e mandou encerrar todos os serviços e empresas públicas, de sexta-feira, 27, a 17 de Abril, reforçando assim as medidas de combate ao novo coronavírus.

Cabo Verde registou até o momento quatro casos positivos do novo coronavírus, sendo três na ilha da Boa Vista e um na cidade da Praia. Entre os três casos positivos na ilha da Boa Vista, um resultou em óbito, o inglês de 62 anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.