Mãe, pai, três filhos ainda menores, 14, 8 e 5 anos respectivamente, da família Monarca, e mais um amigo dos pais, que juntou-se a eles a bem pouco tempo, estão a viver no barco desde mês de Julho.

Um “desafio”, que teve como promotores a Rute Monarca, que trabalhava na Galp Portugal, no sector de publicidade, e o marido João Monarca, que já trabalhava ligado ao mar e sempre tivera o sonho de fazer a volta ao mundo, que, a princípio, deveria ser quando reformassem.

No entanto, segundo Rute Monarca, constataram que até lá seria “longe demais” e assim optaram por fazer com os filhos.

“O grande objectivo agora é aprendermos com eles, eles aprenderem connosco e conhecermos outras pessoas, outras formas de viver”, disse a progenitora, adiantando que saíram de Cascais, Portugal, em Julho, já passaram pela Espanha, Gibraltar, Balneares, Valência, Canárias e agora Cabo Verde, tendo como destino seguinte as Caraíbas.

Várias paragens para a volta ao mundo que querem fazer em dois anos, mas, neste momento, optaram por estar na cidade do Mindelo, na semana dos oceanos (Ocean Week), que fala sobre o mar, agora a casa deles.

“Percebemos que Mindelo está completamente mobilizada para esta semana, até com actividades para as crianças, com música, com palestras interessantes e obviamente quisemos estar cá nesta semana”, lançou, adiantando que a família chegou no último domingo, mas pretende ficar mais uma semana.

“Para aproveitar das condições maravilhosas desta ilha, o povo é super acolhedor e simpático. Sentimo-nos em casa”, elogiou a mesma fonte, acrescentando ser “bom” voltar a falar português e ter contacto com a sua empresa Galp, através da Enacol em São Vicente.

A família recebeu na tarde de hoje, em alto mar, a visita do secretário de Estado Adjunto do Ministério da Economia Marítima, Paulo Veiga, para quem o facto de terem vindo propositadamente para CV Ocean Week só vem “reforçar” a ideia de que este é um evento de “dimensão internacional e está a chegar à media internacional”.

“As pessoas começam a interessar-se, cada vez mais, em visitar-nos nesta altura para poderem, como disse a senhora, conhecer mais dos oceanos, ter vozes de pessoas que entendem e estudem o mar”, sublinhou o governante, que ressaltou a particularidade de Rute Gonçalves ter considerado as palestras “muito interessantes” e ter gostado da parte cultural.

Por isso, Paulo Veiga desejou “sucessos” para este “desafio” e esta “missão ambiciosa”.

A família Monarca, antes de iniciar a viagem, teve quatro meses de adaptação e a viver no barco, que, segundo Rute Monarca, adquiriram por cerca de 60 mil euros, quase a mesma quantia que investiram para o reformar, derivado de poupança de cerca de 10 anos e do aluguer da casa.

Também contaram com a ajuda da Galp, que também aliou-se ao projecto e é o fornecedor de energia para o barco, com a doação da vela maior, algum dinheiro para o combustível e ainda painéis solares, que estão agora a montar.

Quanto a escola, os dois filhos maiores estão em ensino doméstico tendo como tutora a mãe.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.