A iniciativa é de dois jovens tarrafalenses,  no âmbito do plano de estágio do curso de Agente do Desenvolvimento em Turismo que aconteceu na ilha de Santo Antão, em Março do corrente ano.

Em declarações à Inforpress, José Carlos, um dos mentores da iniciativa, explicou que o principal objectivo é dar às crianças o direito de conhecer a “cultura e as raízes da ilha”, através das brincadeiras dos antepassados, bem como proporcionar o convívio entre os mesmos.

O responsável observou que as crianças actualmente não conhecem estas brincadeiras e estão apegadas às novas tecnologias”, destacando que mesmo frequentando as praças de recreio não existem estes “estilos de brincadeiras”, reconhecendo a existência apenas de “baloiços e escorregas”.

“Desta forma, vamos perdendo estes aspectos culturais, os hábitos e as tradições que nós temos, perdendo a nossa identidade”, sublinhou.

De acordo com o responsável, estas actividades são realizadas com o intuito de ensinar as crianças a aprender outras habilidades que são transmitidas através destas brincadeiras.

Conforme um cronograma elaborado, de 12 a 16 de Agosto, as crianças na faixa etária entre 6 a 14 anos vão poder conhecer muitos jogos tradicionais, mudar um pouco a sua rotina, com brincadeiras que vão desde Fitx Fatx, Malha, Trouxestes às cartas, passando pelo “Gato e Rato, Ringue, Senhor barqueiro, Sapatinha de Licá, Cabra Cega, 123 Macaquinho Chinês, corrida de saco, dança da cadeira, entre outras brincadeiras de antanho.

As actividades gratuitas vão decorrer nos seguintes horários, das 9 às 13 horas e contam com abordagens sócio-educacionais nas áreas de protecção civil, ambiente, igualdade e género e saúde.

“Brincadeiras de Outrora decorre sob o lema “Bê brinca má nós”, conta com a parceria Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA), Câmara Municipal de Tarrafal, Jardim Florido e Centro de Saúde do Tarrafal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.