Esta fundação,  em parceria com a Rede de Voluntariado Maria Teresa Segredo, diz ter já mobilizado um grupo de veterinárias holandeses para a realização de mais uma etapa do projecto, que vai ser alargado a todos os municípios de Santo Antão.

No quadro deste projecto, iniciado em 2019, com a castração de 300 cães nos municípios do Paul e Ribeira Grande, prevê-se abranger cerca de 1.500 cães nos próximos cinco anos.

O projecto, “Um cão, um Amigo”, surgiu da iniciativa de um grupo de cidadãos holandeses, que, de visita a Santo Antão, constatou a existência de “muitos cães em situação de abandono”.

Além de castração, o projecto consiste ainda na criação de um canil, que vai ser “uma espécie de um lar” para os cães abandonados, segundo a presidente da Fundação Amigos do Paul, na Holanda, Maria Teresa Segredo, que realça a importante desta iniciativa na promoção da saúde pública em Santo Antão.

A meta, segundo a presidente dessa fundação, é “reduzir ao máximo a quantidade de cães abandonados” nos municípios de Santo Antão, numa altura em que a problemática dos cães vadios tem sido uma preocupação, na ilha.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.