A Câmara Municipal preparou um vasto programa comemorativo com atividades recreativas, desportivas, culturais, religiosas e institucionais que, cumprindo a tradição, só terminam quinta-feira, 14, na localidade de Cabo da Ribeira.

“A festa tem vindo a decorrer com muito civismo e ainda não tivemos qualquer caso ou incidente digno de registo”, disse o comandante da Esquadra Policial do Paul, Monteiro, que espera uma festa pacata e sem a ocorrência de atos que possam perturbar o bom andamento das comemorações.

A “noite cabo-verdiana”, espetáculos de teatro e os bailes de conjunto marcaram o programa cultural, enquanto no lado desportivo a corrida de cavalos parece ser o prato forte tendo em conta que o Paul não dispõe de um campo de futebol e, por isso, o chamado desporto-rei não “reinou”, este ano, na festa do Município do Paul e de Santo António das Pombas.

A inexistência de um campo de futebol no Paul foi assunto referido por todos os intervenientes na sessão solene da Assembleia Municipal, comemorativa da efeméride, concordando todos que “Paul é uma terra de campeões” que fornece jogadores às melhores equipas de Santo Antão, e não só, razão porque lamentam que este seja “o único município do país que não dispõe de uma infraestrutura para a prática do futebol”.

Já a população de Chã de Erva diz ter menos razões de queixa porque passou a dispor de um troço de estrada há muito tempo reivindicada cuja inauguração teve lugar esta terça-feira, 12, embora falte ainda a construção de um “viradouro”, cujas obras deverão arrancar assim que a Câmara adquirir o terreno necessário para a obra.

“No Paul, o Estado não tem terrenos, é tudo privado e temos que ter capacidade de negociação para conseguir os terrenos necessários para este tipo de obras”, disse o presidente da Câmara, António Aleixo Martins, garantindo, contudo, que a negociação com o proprietário está “bem avançada” e a obra deverá arrancar “brevemente”.

O Paul, que comemora hoje os 151 anos da sua elevação à categoria de concelho, é um município eminentemente rural com um território de 54,3 Km2 e uma única freguesia – Santo António das Pombas, situa-se no extremo nordeste da ilha de Santo Antão e corresponde às bacias hidrográficas da Ribeira do Paul, da Ribeira de Janela e a Ribeira do Penedo.

O ponto mais alto do concelho do Paul é Pico da Cruz, localidade que passou a dispor de energia elétrica 24 horas por dia, inaugurada no âmbito destas festas do município e que, até ao final do mês, deverá passar a ter, também, água canalizada com a inauguração do projeto de bombagem que eleva água desde a localidade de Losnã, na Ribeira da Torre, para servir as populações das zonas altas dos três municípios da ilha.

De acordo com o Censo de 2000, Paul tinha uma população de 6.997 habitantes (1,4% da população total do país), sendo 81,9% a residir no seu espaço rural, e apenas 18,1% no espaço urbano, mas últimos dados divulgados pelo INE em 2016, citados pelo líder da bancada do PAICV na Assembleia Municipal, Saturnino Baptista, o concelho perdeu 1.057 pessoas em apenas seis anos baixando para 5.940 pessoas, organizadas em 1.616 agregados familiares.

“É preocupante”, disse Saturnino Baptista secundado pelo presidente da Assembleia Municipal, Hélder Lopes, que se declarou “seriamente preocupado por saber que até 2030 o Paul terá uma população em número idêntico ao que tinha em 1940”.

O Governo esteve representado na sessão solene comemorativa do dia do Município do Paul e de Santo António das Pombas pelo secretário de Estado Adjunto para a Educação, Amadeu Cruz, que trouxe “boas notícias” aos responsáveis municipais locais ao anunciar a afetação de verbas para investimentos municipais, em diversas áreas, no âmbito da “discriminação positiva” para municípios pequenos como o Paul.

A missa solene em honra do orago do Paul, Santo António das Pombas, habitualmente muito concorrida, apesar de não ser feriado nos vizinhos concelhos da Ribeira Grande e do Porto Novo, foi presidida pelo pároco de Nossa Senhora da Graça, padre António Ferreira (padre Ima) e contou com a participação, também, de autoridades locais e nacionais.

“A mensagem é essa serenidade e o equilíbrio de estar em Deus que Santo António sempre procurou na sua vida e nos seus estudos”, disse o pároco local, padre José Júlio Fortes, esperando, por isso, que a festa de Santo António “seja um tempo de serenidade de oração”.

O Município do Paul é composto por 146 zonas muito dispersas no território municipal que funcionam como assentamentos alternativos à cidade das Pombas.