Segundo relatos da mesma fonte, a vítima se encontrava na companhia de uma colega a caminho do trabalho quando, de repente, apareceu o assaltante munido de uma arma de fogo e lhe retirou uma mochila, contendo pertences, nomeadamente um telemóvel e roupas íntimas.

Ao fugir, o assaltante, fez saber o informante, disparou a arma de fogo, sem, no entanto, atingir a vítima.

Além de homicídios, os relatos de assaltos têm suscitado preocupações a algumas críticas na sociedade, mas precisamente nas redes sociais.

O Presidente da República incitou na quarta-feira as Forças Armadas e a Polícia Nacional a reforçarem suas capacidades para dar resposta a indícios de “alguma insegurança localizada”, no combate à delinquência urbana, crime organizado e tráficos de droga e pessoas.

“Esta disponibilidade permanente dos órgãos de Defesa Nacional, longe de dispensar a contribuição do cidadão, tem de contar com a sua participação activa na edificação da Defesa Nacional, um dos pilares da nossa democracia e do Estado de Direito”, lê-se numa nota de Jorge Carlos Fonseca, em saudação ao Dia de Defesa Nacional, que se celebra a 06 de Novembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.