“O Ministério Público tem dados que, realmente, nos preocupa. De 2017 para 2018, os números apontam para mais de 60 casos, já em 2019 – até dois meses atrás -, ultrapassam os 30 casos. Então preocupa-nos, sobremaneira, porque a cifra não pára de aumentar, casos não param de existir (…), temos de encontrar formas para pôr cobro à situação”, observou a delegada do ICCA no Sal.

Queila Soares fez estas declarações no momento em que se assinala o Dia Mundial das Crianças Inocentes Vitimas de Agressão, hoje, 04 de Junho, bem como 18 de Maio, Dia Nacional de Luta Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Segundo a mesma fonte, a aposta de momento vai no sentido da autoprotecção, autonomia da criança, preparando-a para que possa saber defender-se deste mal.

“É triste e repugnante saber um adulto com esse tipo de comportamento. Só pode ser algo patológico, uma doença. De resto deparamos com situações de negligência, de pessoas irresponsáveis que vêm numa criança um desenvolvimento que ainda ela não tem, aproveitando, sexualmente, da sua vulnerabilidade”, referiu.

Para marcar essas datas o instituto levou a cabo uma série de actividades, destacando-se uma “operação stop” contra abuso e exploração sexual de menores, que teve lugar hoje envolvendo crianças e adolescentes das diferentes escolas numa acção de sensibilização.

Nesta actividade, foram elas próprias os autores da divulgação da mensagem ”Basta de abusos e exploração de crianças e adolescentes”, uma chamada de atenção, no sentido da prevenção, no âmbito da problemática.

Queila Soares concluiu apelando às pessoas no sentido de quebrar o silêncio e denunciar qualquer caso de violência contra criança e o adolescente discando o número 8001020 ou 132.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado anualmente em 18 de Maio, pretende “promover a reflexão, avaliação e tomada de decisões” sobre um fenómeno crescente em Cabo Verde e que afecta toda a sociedade.

A escolha desta data é em memória do “Caso Araceli”, um crime que chocou o Brasil na época.

Araceli Crespo era uma menina de apenas 8 anos, que foi violada e violentamente assassinada em 18 de Maio de 1973, crime, que apesar de hediondo, ainda segue impune.

Em Cabo Verde, o Parlamento aprovou por unanimidade, a instituição de 04 de Junho como Dia Nacional Contra o Abuso e Exploração Sexual de Menores, dando seguimento a uma petição pública que reuniu mais de 12 mil assinaturas.

A ideia surgiu por iniciativa da Associação de Crianças Desfavorecidas (Acrides) e, no âmbito da análise da petição na Comissão Especializada de Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos, Segurança e Reforma do Estado, foram ouvidas várias organizações na área da criança e do adolescente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.