Em declarações à Inforpress, à margem da cerimónia de apresentação da referida obra, que aconteceu esta terça-feira, na Biblioteca Nacional, a escritora asseverou que pretende com esta obra, dar a conhecer e divulgar a República de Cabo Verde, a um vasto público com raízes cabo-verdianas.

Conforme explicou, a obra é a continuidade de uma viagem nas ilhas afortunadas da Macaronésia e uma aventura na cidadania democrática e na cultura universal de Cabo Verde.

“Este livro é uma obra que vem no âmbito dos estudos que tenho feito sobre as regiões ultraperiféricas, nomeadamente, as lusófonas. É um livro patriótico que pretende dar a conhecer e divulgar a República de Cabo Verde e destina-se às escolas, instituições nacionais e internacionais”, disse.

Considerando o livro como uma “obra fácil de entender”, Zita Cardoso acrescentou, por outro lado, que a sua publicação se enquadra nas comemorações do 43º aniversário de Cabo Verde e que homenageia os heróis nacionais.

As páginas do “Raízes e símbolos da independência”, de acordo com a autora, contém informações administrativas sobre a Constituição da República, dados sobre a história nacional, um pequeno historial de cada uma das ilhas.

Posteriormente será apresentado em diferentes países do globo, nomeadamente, Brasil, Estados Unidos da América, Lisboa e Holanda.

Maria Zita Saldanha Vieira Cardoso é licenciada em História pela Universidade Clássica de Lisboa e mestre em Gestão de Turismo e Educação pela Universidade de Bourrnemouth, Inglaterra.

Foi a fundadora da Associação de Escritores da Madeira, onde exerceu o cargo de presidente professora, escritora e colunista.