Em alguns pontos desta urbe ocorre, nesta altura, vazamento de águas sujas, para o desagrado dos munícipes, que exortam as autoridades municipais a encontrarem uma “solução definitiva” aos “caos” que tem sido a gestão dos esgotos no Porto Novo.

A rede de esgotos, instalada há quase duas décadas, consegue cobrir apenas 20 por cento (%) deste centro urbano, com dez mil pessoas, encontrando-se saturada há vários anos, com esgotos a vazarem no mar e com arrebatamentos, com alguma frequência, das fossas sépticas, para o desespero dos moradores.

Porém, a resolução definitiva dos problemas de esgotos no Porto Novo só acontecerá a partir de 2021, com a prevista “reestruturação profunda” de o todo sistema de saneamento neste município, através da ampliação da rede, em cerca de 12 quilómetros, no âmbito do projecto de água e saneamento para Santo Antão.

No quadro deste projecto, já financiado em 12 milhões de dólares (quase um milhão e duzentos mil contos), Porto Novo será contemplado ainda com uma estação de tratamento de águas residuais (ETAR).

Com duração de três anos, o projecto de água e saneamento de Santo Antão, co-financiado pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento em África (Badea) e pelo Governo de Cabo Verde, foi lançado em Setembro e o arranque efectivo dos projectos acontecerá a partir de 2021.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.