A central fotovoltaica, inaugurada em 2012, tem estado a funcionar, desde os primeiros meses de 2018, com dificuldades, derivadas do facto de as baterias estarem no fim da vida útil, situação que inquieta as 75 famílias residentes nessa comunidade piscatória.

Porém, a Câmara Municipal do Porto Novo já assegurou que,”dentro de pouco tempo”,  a situação da central fotovoltaica do Monte Trigo será normalizada, prevendo-se, para tal, um investimento de cerca de três mil contos, numa  parceria com o Governo.

Em Setembro último, o presidente da câmara, Aníbal Fonseca, de visita a Monte Trigo, reconheceu o facto de Monte Trigo estar a enfrentar, desde o ano transacto, “algumas dificuldades” a nível de energia eléctrica, assegurando que “esforços” têm sido feitos para a resolução do problema.

“Estamos a trabalhar para normalizar a situação já”, garantiu o autarca, nessa altura.

A câmara do Porto Novo diz estar “a articular” com ao Governo “uma parceria” visando a recuperação da central fotovoltaica do Monte Trigo, zona que enfrenta, nesta altura, “o desafio da sustentabilidade do sistema energético”, segundo o autarca.

A central fotovoltaica do Monte Trigo foi instalada no âmbito projecto Sesam-er (Serviço Energético Sustentável para as populações rurais Isolados Mediante Micro-redes com Energias Renováveis em Santo Antão), financiado pela União Europeia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.