O autarca, Aníbal Fonseca, diz-se “orgulhoso” da sua instituição pelo impacto que esse investimento tem na melhoria da qualidade de vida dessas pessoas nessa localidade, lembrando que o projeto, cofinanciado através do Fundo Flexível, beneficia mais de meia centena de famílias que passa assim a dispor de água canalizada nas suas habitações.

Essas famílias, que antes eram obrigadas a adquirir água para consumo nos chafarizes ou através de levadas, passam, agora, a ter “água de boa qualidade” nas suas casas, explicou o autarca, que falava no ato de inauguração, esta terça-feira, do projeto em apreço, que teve ainda a parceria da Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS).

“Trata-se de um projeto que orgulha bastante a Câmara Municipal do Porto Novo, já que Alto Mira fica bem servida em termos de água canalizada”, sublinhou o edil Aníbal Fonseca, para quem, com essas ações, a edilidade está a cumprir os objetivos do desenvolvimento sustentável.

Mais de 75% da população do concelho do Porto Novo tem acesso à água canalizada.

Entretanto, os responsáveis municipais defendem a necessidade ainda de “importantes investimentos” para que as 4.577 famílias existentes em todo o município tenham água canalizada em casa.

Depois de Alto Mira, as atenções da edilidade vão centrar agora em Ribeira das Patas, onde o grosso da população não tem ainda água canalizada, anunciou Aníbal Fonseca.

O autarca indicou ainda, que no que tange à cidade do Porto Novo, o alargamento e melhoria da rede de distribuição, considerada já obsoleta e com “graves deficiências”, exige um investimento, a curto, médio e longo prazo, que deve rondar os 200 mil contos.