Os porto-novenses consideram que o centro de saúde do Porto Novo, já com duas décadas de funcionamento, "já atingiu o seu limite", uma posição defendida, também, pelo edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, que, por algumas vezes, alertou para o facto de esta infra-estrutura não atender já às necessidades do concelho.

Para as autoridades municipais, esta é uma questão que deve começar, desde já, a ser discutida e equacionada, para que este município possa, dentro de alguns anos, dispor de um hospital, que atenda às necessidades dos 17 mil habitantes.

Os munícipes João Silva, Ivone Évora e José Tavares são de opinião de que o Governo deveria priorizar a construção de um hospital no Porto Novo, numa altura em que o actual centro de saúde, inaugurado há 20 anos, já não responde às necessidades dos porto-novenses.

Em Agosto, de visita a Santo Antão, o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, alertava, igualmente, para a necessidade de se reflectir sobre o tipo de infra-estrutura de saúde para Porto Novo "no futuro".

"Esta estrutura (o centro de saúde) está, praticamente, no seu limite em termos de funcionamento, o que nos leva à uma reflexão: será que é esta a estrutura de saúde que Porto Novo comporta para o futuro? É preciso fazer esta reflexão", notou Jorge Santos, na ocasião.

JM/ZS

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.