O comandante do Corpo dos Bombeiros Voluntários do Porto Novo, Balbino Gomes, explicou que a intenção é agir na prevenção dos incêndios florestais, através de vigilância às zonas de risco e de sensibilização das pessoas, sobretudo, dos agricultores, para evitarem queimadas na preparação dos terrenos agrícolas.

Segundo este responsável, a maior atenção dos bombeiros voluntários incide, naturalmente, no perímetro florestal do Planalto Leste, a maior reserva florestal de Santo Antão, onde existe, desde 2018, uma unidade de combate a incêndios.

Os bombeiros voluntários do Porto Novo, já com 17 anos de existência, receberam, em Junho, uma acção de treinamento, que permitiu reforçar os seus conhecimentos em matéria de combate a incêndios florestais.

Além dos bombeiros, os municípios em Santo Antão têm estado, também, preocupados com a problemática dos incêndios florestais nesta ilha, sobretudo no Planalto Leste, alvo, nos últimos 30 anos, de inúmeros incêndios, que destruíram, pelo menos, 250 hectares dessa reserva florestal.

As três câmaras municipais já anunciaram, “dentro em breve” um projecto de manutenção e resiliência ambiental no perímetro florestal do Planalto Leste, financiado pela cooperação luxemburguesa, em nove mil contos.

O projecto consiste, entre outras intervenções, na manutenção dos trilhos dentro do perímetro, aquisição de materiais de combate a incêndios, colocação de bocas de incêndio e na realização de acções de sensibilização das populações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.