Em declarações ao jornal, o porta-voz do Ministério da Segurança Pública da China, Guo Lin, afirmou que o país vai prestar especial atenção, em 2019, aos crimes de “telecomunicações e online”, que são crimes “mais profissionais” e transregionais.

A esse respeito, o vice-diretor do escritório de investigação criminal do ministério, Chen Shiqu, disse que o seu departamento adotará “múltiplas medidas” para “acabar com esses crimes em todo o país”, aumentando a cooperação com todas as delegações regionais.

Estas declarações chegam um dia depois de a polícia chinesa ter detido 132 pessoas que alegadamente pertencem a uma rede criminosa que defraudou mais de mil milhões de dólares a pessoas que foram levadas a acreditar que tinham “um alto risco” de contraírem cancro.

Os 132 detidos estão acusados de “mais de 2.000 fraudes médicas transfronteiriças”, de acordo com as autoridades.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.