Em declaração à imprensa, à margem da cerimónia de abertura das duas acções de formação, a directora nacional em substituição, Eleonora Sousa, avançou que estas acções se destinam a profissionais da educação pré-escolar em Língua Portuguesa, aos profissionais da educação pré-escolar e em técnicas de construção de instrumentos de avaliação aos coordenadores e supervisores pedagógicos e do 1º e 2º ciclo do Ensino Básico.

“Quem estamos a formar são professores de língua portuguesa a nível dos concelhos que depois têm o papel de multiplicar junto dos profissionais da educação pré-escolar a nível descentralizado porque nós somos um país arquipelágico e temos que apostar na descentralização e utilização de outros instrumentos para podermos chegar a todos os profissionais”, indicou.

O objectivo de promover a formação em Língua portuguesa, de acordo com esta responsável, visa reforçar a capacidade pessoal e profissional dos formandos, visando melhorar a compreensão e o uso da Língua Portuguesa e responder às necessidades nesta área.

Já a formação em técnicas de construção de instrumentos de avaliação destinada a coordenadores e supervisores pedagógicos, elucidou, tem o intuito de reforçar os conhecimentos e desenvolver as suas experiências de avaliação cujos instrumentos de avaliação têm que estar alinhados com todo o processo com todas as alterações a nível da revisão curricular.

Entretanto, sustentou que a escolha dessas duas acções de capacitação, que decorre de hoje a 07 de Fevereiro, deve-se à necessidade da direcção em responder às demandas, visando reforçar e adequar as formações à novas práticas nos concelhos do país.

“Todas as nossas formações são programadas de acordo com as necessidades, as formações são planificadas no âmbito da reforma curricular e no âmbito das percepções. E dos dados que nós temos acompanhado há uma necessidade de se reforçar e de se adequar as formações às novas práticas nos concelhos”, realçou, salientando que o principal objectivo é de garantir a qualidade de reposta e melhorar a educação dos alunos.

As formações em Língua Portuguesa e em técnicas de construção de instrumentos de avaliação contam com a participação de cerca de 30 formandos cada e serão ministrados pelos técnicos do Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) e professores da Língua Portuguesa a nível dos concelhos.

Inforpress/Fim.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.