A informação foi dada à imprensa, à margem do workshop sobre a doação de sangue e transfusão, promovido pelo HAN, enquadrado no Dia Internacional do Doador de Sangue.

Conforme o responsável, o número de doadores anuais “é muito inferior” ao necessário para garantir o stock, tendo em conta que no Banco de Sangue o registo aponta a saída de sangue todos os dias.

Revelou que um doador regular é aquele que, no caso dos homens, doa três a quatro vezes por ano e nas mulheres duas a três vezes, mas que, no entanto, “tem sido difícil cumprir com isso”.

Apontou que o trabalho que está a ser feito para consolidar o armazenamento passa também pela colheita móvel, operação que se efectua nas escolas e nas universidades que o HAN solicita.

Carlos Neves referiu ainda que a informação à volta da doação de sangue é pouca, indicando ser esse o “calcanhar de Aquiles” do hospital no sector.

“A promoção de dados de voluntários doadores de sangue deve ser regular para que as pessoas lembrem que devem doar sangue”, observou.

O Hospital Agostinho Neto está a promover um conjunto de actividades, alusivas ao Dia Internacional do Doador de Sangue, que se assinala a 14 de Junho.

Na agenda consta uma acção de sensibilização nas ruas do Platô e uma cerimónia para homenagear os doadores mais regulares do ano, acto que acontece no dia da comemoração da data.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.