Segundo uma nota de imprensa do escritório da ONG em São Filipe, o workshop de dois dias (13 e 14 de dezembro) visa elaborar o plano de actividades dos dois projectos para o ano de 2019, sendo que o evento irá contar com a participação do gestor do Fundo de Turismo, Manuel Ribeiro, representantes dos Ministérios da Agricultura e do Turismo e Transporte, assim como os parceiros e os representantes dos beneficiários dos projectos.

No decorrer do workshop serão apresentadas as actividades a serem realizadas ao longo de 2019 e com a participação de todos poder organizar, revisar e, se for necessário, modificar as actividades previstas inicialmente, sendo que o workshop terá momentos de trabalhos em grupos e sessões em plenária, na perspectiva de que a experiência da ONG possa dar os seus frutos e, sobretudo, contribuir para a aproximação entre a sociedade civil e as instituições locais e centrais.

O projecto FATA implementado pela organização não-governamental italiana (ONG) COSPE, celebra na próxima sexta-feira em Chã das Caldeiras um protocolo de parceria com o Fundo do Turismo, à margem da nona mesa de diálogo.

O projecto “Fogo, Água, Terra, Ar” (FATA), que tem como finalidade contribuir para o desenvolvimento do eco-turismo sustentável e solidário e valorização do património cultural/social/ambiental, e o projecto “Rotas do Fogo: modelo do agro-turismo como reforço das organizações locais do turismo rural e sustentável na ilha do Fogo” são implementados pela COSPE.

O FATA conta com um orçamento de 576 mil euros, mais de 63 mil contos cabo-verdianos, dos quais a União Europeia entra com 75 por cento (%), mais de 432 mil euros e os promotores em conjunto com 25%, e o “Rotas do Fogo” tem um orçamento global de 553.430 euros dos quais 498 mil euros é a contribuição da União Europeia e a parte restante dos demais parceiros e instituições envolvidas.