O comandante regional da Polícia Nacional (PN), o comissário Roberto Costa Fernandes, ao fazer o balanço das atividades policiais durante o período festivo, disse ainda que em termos de segurança “foi positivo” e “não houve grandes registos” de incidentes.

Entre os dias 20 de Abril e 01 de maio, explicou, os casos registados assemelham aos dos anos anteriores, observando que houve menos registos de incidentes, comparativamente com as festas de 2017, porque a instituição policial contou com grande colaboração da população, que no dizer de Roberto Costa Fernandes, teve uma “postura cívica ordeira” como tem sido durante todos esses anos.

Este destacou o registo de um furto num estabelecimento comercial em que foi subtraída uma carteira a uma pessoa que estava a fazer compras, com mais de dois mil dólares, mas a PN fez as diligencias e recuperou cerca de 80 por cento (%) deste valor.

Igualmente a PN teve registo de uma situação de ofensa à integridade física, que não ocorreu no local das festas, mas noutro espaço em que na sequência de um desentendimento entre duas pessoas, uma acabou por socorrer de uma arma que lhe estava mais próxima, uma catana, e desferiu um golpe contra um dos braços da vítima, que foi transferida para o hospital central da Praia.

Em termos de trânsito, o comandante indica que foram realizadas mais fiscalizações com aplicação de alguma coima, cujo valor é superior ao do ano anterior, mas quanto a acidentes foram registados três casos de pequena dimensão.

Segundo o mesmo, em comparação com aquilo que se verifica nos dias normais, durante as festas, a PN registou 13 casos de furtos, sendo a maior parte deles no Presídio. Acrescentou igualmente que são situações que acontecem quando as pessoas estão junto ao palco a festejar com os artistas e onde há uma condensação intensa de pessoas, em que algumas aproveitam para subtrair telemóveis e carteiras com pequenas quantidades.

Os dados estatísticos indicam para um total de 44 casos de atos de denúncia, um roubo a pessoa e outra numa residência, um furto no estabelecimento comercial e outro na viatura, 13 furtos na via pública.

O serviço de piquete atendeu 93 ocorrências sendo que 15 foram encaminhados para o hospital.

A PN apreendeu três armas brancas e um caso de drogas, tenho visitado neste período 11 estabelecimento de ensino, detido 35 cidadãos nacionais para identificação e quatro que foram apresentados ao Ministério Público e fiscalizou 187 veículos com registos de 33 transgressões.