Em declarações à Inforpress, Maria Vasconcelos, que participa no evento, explicou que o objectivo é reforçar os conhecimentos técnicos em torno do clima, preparando cada vez melhor as instituições ligadas ao sector.

Segundo apontou, Cabo Verde faz parte de várias convenções ligadas às mudanças climáticas, pelo que é necessário estar sempre actualizando os conhecimentos, uma forma de avaliar a resiliência do país quanto às mudanças climáticas.

“É importante ter esta dimensão, as instituições estão a consumir bem as informações e isso ajudará a melhor se prepararem para os novos desafios”, salientou.

O workshop sob o tema “Mudanças Climáticas e Acordos do Clima no sector florestal em Cabo Verde” é uma iniciativa do projecto Reforço da Capacidade de Adaptação e Resiliência no Sector Florestal de Cabo Verde (REFLOR-CV), que acontece de forma virtual.

Este workshop é o primeiro de uma série de oito, já planeados, sendo este uma base de preparação para os restantes que serão mais aprofundados e com maior duração.

O REFLOR-CV é um projecto do Governo, financiado pela União Europeia e gerido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Fazem parte do público-alvo várias instituições com interesse no sector florestal em Cabo Verde, nomeadamente, profissionais do Ministério da Agricultura e do Ambiente, do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), do Instituto Nacional de Gestão do Território (INGT), da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), da Direcção Nacional de Indústria, Comércio e Energia, entre outras.

O principal objectivo do projecto é o de aumentar a resiliência e a capacidade de adaptação para enfrentar os riscos adicionais colocados pelas mudanças climáticas na desertificação e degradação da terra em Cabo Verde, garantindo-se uma abordagem participativa e sensível ao género.

Os grupos-alvo directos são mulheres, homens e jovens proprietários e agricultores das zonas rurais que irão beneficiar da transferência de conhecimento e tecnologia sobre o estabelecimento e gestão das florestas plantadas.

O projecto é implementado em Santiago, Fogo e Boa Vista, sendo a área prevista de intervenção e (re)florestação de cerca de 800 hectares nas três ilhas.

HR/HF

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.