"O Senami registou a nível nacional um aumento da entrada de cidadãos estrangeiros de 24%, ou seja, 881.824 estrangeiros contra 709.770 em igual período do ano anterior", referiu Cira Fernandes, porta-voz da instituição.

Os principais países de origem são Maláui, Zimbábue e África do Sul, motivados pela estabilidade política, turismo, recursos naturais e oportunidades de negócio, acrescentou.

O aumento levou o serviço a realizar um maior número de ações de fiscalização, de 943 para 2.145, assinalou aquela responsável.