Em declarações à Infopress, José Moreno Brito, que reside na França há 33 anos, diz que criou este livro para ajudar as crianças cabo-verdianas a aprenderem o francês e, também, os emigrantes cabo-verdianos que escolheram a França como o país de acolhimento.

Além disso, acredita este autor que os próprios franceses poderão passar a conhecer e saber mais sobre Cabo Verde através deste dicionário.

“Como penso muito na minha terra Natal, quis apostar no meu país. Daí veio a ideia de criar algo que ajudasse no desenvolvimento de Cabo Verde. Por isso, fiz este dicionário. É uma ideia quem vem desde 2012, mas iniciei os trabalhos em 2015 e estou agora a apresentar a obra em 2018”, explicou.

José Moreno Brito conta que passou por “muito sofrimento” quando chegou a França, com 25 anos de idade, há 33 anos atrás, por causa da língua.

“Chegando lá, não sabia nem como pedir um copo de água para beber. Vi que muitas pessoas poderão estar a passar pela mesma situação. Por isso, pensei em fazer este dicionário que acredito que será muito importante na integração dos cabo-verdianos na França”, ajuntou.

O dicionário conta, segundo a mesma fonte, com a co-autoria de Fernando Moreno Marques e ilustração de Tchilac Furtado.

“Acho que esta obra é muito importante. Tive muito trabalho para a criar”, disse José Moreno Brito, dando conta que não teve “nenhum patrocínio” para a produção do dicionário, tendo arcado sozinho com todas as despesas para a edição do livro.

Inforpresss/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.