Comemora-se hoje, em Cabo Verde, o dia 20 de Janeiro, Dia dos Heróis Nacionais, um dia feriado nacional - em Cabo Verde e na Guiné-Bissau - que recorda o dia da morte de Amílcar Cabral, há 39 anos, o obreiro da independência dos dois países.

A data reveste-se de grande simbolismo por recordar um dos mais carismáticos líderes africanos das lutas pela emancipação dos seus povos.

Cabral, que profetizara o seu proprio fim às mãos dos seus homens, foi assassinado, na Guiné-Conakry, por elementos do próprio PAIGC, a 20 de Janeiro de 1973.

O pensamento político e cultural continua a influenciar políticos ainda hoje, tanto em Cabo Verde como na Guiné-Bissau.

Amílcar Cabral concluiu os seus estudos secundários em São Vicente, tendo depois seguido para Lisboa, com uma bolsa de estudos, para seguir Agronomia, na então capital da Metrópole.

E foi aqui que iniciou as suas actividades políticas, antes de seguir para a Guiné e, mais tarde, para Angola.

Em 1959, juntamente com Aristides Pereira, seu irmão Luís Cabral, Fernando Ferreira Fortes, Júlio de Almeida e Elisée Turpin, Amílcar Cabral funda o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), para lutar contra a política colonial portuguesa.

Em 23 de Janeiro de 1963, o ataque ao quartel de Tite, no sul da Guiné-Bissau, dá início à luta armada contra as tropas portuguesas, a partir de bases na Guiné-Conacri.

Em 1970, Amílcar Cabral, fazendo-se acompanhar de Agostinho Neto e Marcelino dos Santos, é recebido pelo Papa Paulo VI em audiência privada.

Em 21 de novembro do mesmo ano, o Governador português da Guiné-Bissau determina o início da Operação Mar Verde, com a finalidade de capturar ou mesmo eliminar os líderes do PAIGC, então aquartelados em Conacri. A operação não teve sucesso.

Em 20 de janeiro de 1973, Amílcar Cabral é assassinado em Conacri, por dois membros de seu próprio partido. Aristides Pereira substituiu-o na chefia do PAIGC. Após a morte de Cabral a luta armada intensifica-se, em especial com a aquisição pelo PAIGC de mísseis stinger terra-ar, que desiquilibra o rumo da guerra a seu favor. A independência de Guiné-Bissau é proclamada unilateralmente em 24 de Setembro de 1973. Seu meio-irmão, Luís de Almeida Cabral, é nomeado o primeiro presidente do país.

A 5 de Julho de 1975, e depois de conversações em Londres com o novos representantes do governo português, saído da revolução de 25 de Abril, Cabo Verde ascende à independência.

 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.