Este avançou que uma equipa integrada por vereadores, membros do gabinete social com apoio de representantes de zonas, está a trabalhar na identificação das famílias que não foram incluídas no programa de assistência alimentar do Governo, quer através de cestas básicas como de outras medidas para que sejam elas também apoiadas neste período de quarentena em que estão confinadas às suas residências.

Em relação a essas famílias, salientou, a equipa está a ultimar os trabalhos de recolha de documentação como Número de Identificação Fiscal (NIF) e fotocópias de bilhete de identidade para abertura de contas bancárias, sublinhando que o processo está praticamente concluído porque a maioria das famílias dispõe de contas junto de instituições bancárias.

O presidente prevê que ainda hoje será encaminhada uma lista das famílias à agência da Caixa Económica em São Filipe para abertura das contas em regime de urgência e emissão de um cartão vint4 para que se possa transferir para as respectivas contas os subsídios financeiros.

Alberto Nunes lembrou que as famílias que já beneficiam das outras medidas do Governo, os funcionários, os pensionistas e outras pessoas que não perderam os seus rendimentos ficam isentas dos apoios, apontando, como exemplo, que uma pessoa que vivia da pensão social não vai beneficiar de mais subsídios.

“Na verdade ninguém vai ficar de fora”, afirmou, observando que serão incluídos todos aqueles que perderem rendimentos, desde criadores/produtores de queijo, pescadores, agricultores, pedreiros.

Durante a distribuição das cestas básicas este indicou que foram detectadas algumas falhas e que é necessário fazer algum reajuste para corrigir as falhas encontradas, sublinhando que em vez de oferecer produtos através de cestas básicas vai-se optar pela transferência de dinheiro para as famílias comprarem os produtos de acordo com as suas necessidades.

O autarca avançou que o município está parado, indicando que as obras de reabilitação das escolas de Mãe Joana, Estância Roque, Figueira Pavão e Achada Furna que deviam iniciar este mês através de empresas seleccionadas e cuja primeira tranche do orçamento foi transferido para as suas contas, estão paradas, assim como a obra de reabilitação da estrada Cova Figueira/Casinha.

Igualmente as obras de requalificação urbana da cidade de Cova Figueira ainda não tiveram o seu início devido ao problema do novo coronavírus, além de requalificação de habitação social e de acessibilidade.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.