Em conferência de imprensa ontem, 08, no Mindelo, o bispo da Diocese do Mindelo, Dom Ildo Fortes, explicou que esta campanha decorre durante um mês sob o lema “É em tua casa que quero celebrar a Páscoa”, inspirado no apelo do Papa Francisco que pediu para “que se ajude uns aos outros”.

Segundo Dom Ildo Fortes, a igreja católica, através da Cáritas, já disponibilizou cerca de mil contos para esta campanha, mas o número de agregados familiares que vão precisar de ajuda pode aumentar. Por isso, apelou à solidariedade dos cabo-verdianos dentro e fora do país.

“Aquilo que o Papa disse no dia 27 de Março, na sua alocução na Praça de São Pedro, é que nós estamos todos no mesmo barco e ninguém se salva sozinho. Por isso, nesta hora todos nós, instituições religiosa e civis e, sobretudo, as forças ou juntamos ou afundamos. Daí a necessidade acrescida de estarmos uns com uns outros e de cuidarmos uns dos outros”, lembrou o bispo da Diocese do Mindelo.

Apesar disso, Dom Ildo defendeu que tem sido um “ganho mundial” o facto de as pessoas estarem a “criar a mentalidade de vencer junta esta batalha”.

Felicitou, igualmente, as iniciativas dos dirigentes nacionais ao terem tomado medidas “com prontidão” para “melhor prevenção e combater a ameaça da pandemia” em Cabo Verde.

“Estamos solidários com esta atitude do Governo e a igreja está do lado de tudo aquilo que é para o bem da sociedade e para a promoção da vida”, frisou.

A Cáritas cabo-verdiana é uma organização não-governamental criada em 1976, depois da independência nacional com o objectivo de servir os outros.

Ela reja-se pelos princípios da caridade cristã e justiça social e tem como missão planificar e coordenar as actividades sociais e programas de apoio às famílias e às emergências.

A rede da Cáritas é formada pelas duas diocesanas do país e pelas paróquias de todo o território nacional.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.