É nesse sentido que, em parceria com a Câmara Municipal de São Lourenço dos Órgãos, a instituição levou hoje a campanha de celebração dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos a esse município do interior de Santiago, nomeadamente aos alunos da Escola Secundária Luciano Garcia e a comunidade de São Jorge.

A iniciativa, lançada em 2018 pela CNDHC, tem como objectivo promover o conhecimento e o debate sobre a história, princípios e artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e estimular a população cabo-verdiana a interiorizar esses princípios no quotidiano e a reconhecer a responsabilidade de todos na promoção e defesa dos direitos humanos.

Em declarações à Inforpress, a técnica da CNDHC, Soraida Fortes, disse acreditar que, estando os alunos capacitados, o país vai conseguir alcançar os direitos humanos de forma “mais consciente e plena”.

Além dos cidadãos terem a noção dos seus direitos, lembrou que estes devem também conhecer os seus deveres enquanto cidadão.

“Estamos a promover os direitos humanos, estamos a levar a informação de forma que alunos possam ter a consciência e interiorizar os artigos e princípios e ainda a história da Declaração Universal dos Direitos Humanos”, explicou.

A mesma fonte congratulou-se com o facto de os alunos terem levantado questões “bastante pertinentes”, o que, no seu entender, estes mostraram que estão “informados” sobre matéria dos direitos humanos.

Daí que Soraida Fortes reiterou a intenção da CNDHC de que esses jovens activistas devem fazer a “reprodução” desses conhecimentos com outros colegas e nas suas respectivas comunidades.

Em jeito de balanço a meio percurso, informou que das ilhas e concelhos percorridos até ao momento, com excepção da ilha do Maio, que acolherá a campanha no próximo dia 14, as pessoas, sobretudo as das comunidades, têm feito “críticas não muito boas” em relação aos direitos humanos, principalmente relacionadas com a morosidade da justiça.

Por outro lado, Soraida Fortes aconselhou as pessoas a denunciarem casos de violação de direitos humanos, de forma a possibilitar as instituições a tomarem as devidas medidas contra os infractores.

Esta iniciativa enquadra-se no âmbito da campanha dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, financiada pela União Europeia no âmbito do projecto “Promovendo os direitos humanos e laborais através do SPG+”.

A campanha, lançada em 2018 pela CNDHC e que com excepção da ilha do Maio já chegou aos demais concelhos e ilhas, culmina a 10 de Dezembro na ilha do Sal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.