À Inforpress, a presidente da CNDHC, Zaida Morais de Freitas, informou que a realização do evento visa promover os conhecimentos de todos os preceitos que norteiam a declaração de 1948.

“O objctivo é levar as pessoas a conhecerem melhor a história dos direitos humanos, em que contexto surgiu e todos os princípios e artigos da declaração”, explicou Zaida Morais de Freitas, adiantando que este ano, o evento será feito na Boa Vista como forma de descentralizar as atividades da CNDHC.

Por outro lado, disse que a campanha pretende sensibilizar todos os cabo-verdianos na luta contra a violação dos direitos humanos no país garantindo a coesão e estabilidade social.

“Apesar de Cabo Verde ser um país democrático, não podemos ignorar de que todos os dias os direitos de algumas pessoas são violados, sobretudo os mais vulneráveis, como idosos, crianças e mulheres”, apontou, indicando que há mecanismos concretos para o combate dessas violações, nomeadamente as denuncias para os contactos da CNDHC.

O evento terá também uma componente mediática com o apoio especial do jovem artista Hilário Silva, que produziu uma música para o efeito, e será uma das caras da campanha, além de várias ações de sensibilização nas escolas e comunidades, e de capacitação para jovens ativistas.

A campanha de celebração dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos conta com as parcerias da Câmara Municipal da Boa Vista, da União Europeia e do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi aprovada pela Assembleia-Geral das Nações Unidas a 10 de dezembro de 1948, no rescaldo das atrocidades cometidas durante a Segunda Guerra Mundial.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.