Em declarações à Inforpress sobre o funcionamento do posto ao longo desse período, Higor Almeida disse que a unidade tem estado a funcionar duas vezes por semana no período de manhã, resolvendo um conjunto de conflitos pontuais, situações entre pessoas e aconselhamentos.

O funcionamento do posto é uma forma também, como adiantou o comandante, de o corpo policial estar mais próximo da comunidade, transmitindo “mais segurança e o anúncio de mais confiança” da missão da polícia, que é a de protecção e segurança, e uma forma de “inibir” algumas situações de crimes ou delinquência juvenil, entre outros casos que possam surgir.

Entretanto, ainda “não há materiais suficientes e disponíveis” para reunirem as condições necessárias para receber queixas por escrito, mas este responsável explicou que, em muitos casos, o pessoal que se encontra de serviço no posto desloca-se à esquadra, inteiram o comandante da situação, notificam as pessoas que são ouvidas no posto policial de Nossa Senhora do Monte.

Isto, conforme reforçou, é uma forma não só de demonstrar as pessoas que o corpo policial está atento ao que acontece na freguesia, mas também de minimizar as deslocações até a esquadra policial, em Nova Sintra.

Para a população local, esta iniciativa tem sido recebida com “muito agrado”, pois, conforme muitos referiram, é uma forma de se sentirem mais protegidos, mesmo que a onda de violência na ilha não seja tanta, mas sempre é necessário ter a presença da autoridade.

No entanto, lamentam o facto de outras instituições até então não terem tido a “ousadia” de seguirem este exemplo e abrir espaços de atendimento ou outros na localidade, que possa caracterizar Nossa Senhora do Monte como Vila.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.