As autoridades de Gujarate anunciaram hoje que aproximadamente 280.000 pessoas serão movidas para refúgios temporários durante a passagem do ciclone.

O ministro-chefe de Gujarate, Vijay Rupani, pediu através das redes sociais que os turistas saiam das zonas costeiras até hoje à tarde, noticia a Associated Press.

O Departamento de Meteorologia da Índia prevê que a tempestade se mova mais de 13 quilómetros por hora e atravesse a costa do estado de Gujarate e a ilha de Diu, com ventos de entre 145 e 170 quilómetros por hora na manhã de quinta-feira, indicou hoje um repórter.

As autoridades também preveem “chuvas muito intensas” sobre as várias regiões de Gujarate, com precipitações torrenciais entre os 115 e os 204 mililitros diários.

A intempérie deverá inundar as zonas baixas da costa em vários distritos do oeste, podendo “causar a destruição total” das casas rurais e os ventos provocarão a explosão de objetos pesados e a destruição das infraestruturas de telecomunicações.

Estão previstos danos nas estradas, nas ferrovias e nas plantações, assim como também foi pedido aos pescadores que suspendessem a atividade no mar.

De acordo com o Departamento de Meteorologia, às 13:00 locais, o ciclone encontrava-se a 290 quilómetros da costa da cidade de Bombaim.

As catástrofes meteorológicas são habituais no sul da Ásia e a passagem de tempestades geralmente atravessa de forma brusca a costa da Índia, causando mortes.

A tempestade coincide com a onda de calor no norte e no sul do país, onde foram registadas, nas últimas semanas, temperaturas recorde.

De acordo com os registos meteorológicos, Nova Deli registou temperaturas de 48 graus centígrados na segunda-feira, a temperatura mais alta registada nesta época do ano.

Em alguns locais, como a cidade de Churu, no deserto de Thar, com registos acima dos 50 centígrados, ultrapassando os valores históricos nacionais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.