Através de um comunicado publicado hoje no site do Procurador-geral da República, adianta que o agressor, o jovem de 23 anos, acusado de um crime de homicídio agravado, em autoria material, previsto e punido pelos artigos 122º e 123º, alíneas a) e c), ambos do Código Penal, já se encontra em prisão preventiva.

O Ministério Público esclarece ainda, que no dia 16 de Julho de 2020, a ofendida, a jovem de 17 anos, havia apresentado uma queixa-crime na esquadra da Polícia Nacional de Santa Cruz, que deu entrada na Procuradoria da República da Comarca de Santa Cruz logo no dia 17, onde o suspeito vinha indiciado da prática de um crime de ameaça e de um crime de violação da intimidade de vida privada.

Entretanto, indicou que no dia seguinte, 18 de Julho de 2020, a vítima compareceu na Procuradoria da República da Comarca de Santa Cruz, acompanhada da sua representante legal e do então denunciado, altura em que solicitou a desistência da queixa, argumentando que tudo não passava de um mal-entendido e que o problema já tinha sido resolvido.

De acordo com o comunicado o referido processo, que continua em investigação, encontra-se em segredo de justiça.

A jovem de 17 anos foi assassinada à facada na tarde de terça-feira, 04, em Achada Bel-Bel, município de Santa Cruz, supostamente por um jovem de 23 anos, “que tinha obsessão por ela e a perseguia há algum tempo”.

Segundo testemunhos, o suposto assassino chegou a criar perfil falso da vítima no Facebook, passando a impressão de que ela era sua namorada.

MJB/HF

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.