A data, que tem como objectivo conscientizar a população sobre os cuidados que devem ter para evitar o desaparecimento de outras crianças, visa ainda chamar a atenção das organizações da sociedade civil, do Governo, das organizações e da mídia sobre o efeito que as grandes reportagens têm na sensibilização da comunidade face ao problema.

Em Cabo Verde, segundo a Acrides, os casos de desaparecimento de crianças têm provocado medo no seio da sociedade, e uma maior preocupação da opinião pública sobre os casos, principalmente nos arredores da Cidade da Praia.

“Um dos primeiros casos denunciados e também mais mediatizado aconteceu com a menor Edvânia Carvalho Gonçalves, a 14 de Novembro de 2017. Outro caso aconteceu com dois primos Clarisse Mendes (Nina) de 9 anos e Sandro Mendes (Filú) de 11 anos, residentes no bairro de Castelão, assim como a de Edine Soares de 19 anos de idade e seu filho Maurício Soares, de um mês”, lembra num documento.

A Acrides, sensibilizada com esta temática, associou-se ao Centro Infantil de Arte e Cultura através do Projecto Criar com Arte, a Escola Lavadouro e o Liceu Domingos Ramos para marcar o dia 25 de Maio com actividades que iniciam às 09:00.

No período de manhã está prevista entrega de fitas e mensagens na Assembleia Nacional, na Presidência da República, no Palácio do Governo, na Procuradoria-Geral da República, na Polícia Nacional e na Polícia Judiciária.

Após está actividade, segue-se às 10:00 uma concentração na praça Alexandre Albuquerque e “flash mob” (mobilização de pessoas) em solidariedade às crianças e suas famílias, com intuito de consciencializar as autoridades e a comunicação social para a temática.

Na comemoração do dia está prevista a participação de mais de 500 crianças e adolescentes dos ensinos Básico Integrado (EBI) e Secundário (ES).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.