O Ministério do Ambiente, Agricultura e Pescas (MAAP) decidiu tomar medidas para disciplinar a exploração do carvão a partir da zona florestal na ilha do Maio, uma actividade que, até agora, vinha sendo feita sem qualquer autorização de forma indiscriminada.

Esta medida destinada a proteger aquela que é considerada como a maior floresta de Cabo Verde, cobrindo uma área de cerca de 3 mil hectares tem, no entanto, gerado polémica nos últimos tempos.

Depois dos exportadores maienses terem manifestado o seu descontentamento, agora foi a vez de alguns proprietários de restaurantes da Praia, também se posicionarem contra essa medida.

Alegam que a rotura de stock deste produto se deve à decisão do Ministério do Ambiente, Agricultura e pesca (MAAP) em não permitir o embarque de carvão no porto do Maio para a Cidade da Praia.

Em declarações segunda-feira à Inforpress, o delegado do MAAP no Maio, Carlos Dias, confirmou que de facto existe carvão no Maio à espera de autorização para embarque.

Explicou que a medida foi tomada na sequência de estudos que foram feitos por peritos da florestação, segundo os quais há uma duplicação de exploração da capacidade das florestas do Maio.

“É necessário pôr cobro a esta situação porque, senão, daqui a 10 anos não teremos a maior floresta do país”, advertiu Carlos Dias, para quem a medida visa apenas disciplinar essa exploração, criando melhores condições para o efeito, bem como uma melhor organização.

Para isso, o MAAP no Maio indicou, ainda, que o carvão já explorado e que se encontra no Maio pronto a seguir para a Praia será alvo de autorização especial.

Esclareceu, contudo, que a entidade que gere não vai emitir mais licenças sem se concluir o trabalho de organização que está em curso junto dos produtores.

Segundo Carlos Dias, a capacidade de exploração das florestas no Maio neste momento é de 250 toneladas por ano, mas dados recolhidos apontam que só em 2002 exportou-se cerca de 500 toneladas para Praia, e em 2003, 427 toneladas. Segundo aquele responsável, tudo leva a crer que em 2004 esse número venha ainda a aumentar.

(Horizonte: Setembro de 2004)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.