O documento, que foi assinado pela reitora da Uni-CV, Judite do Nascimento, e o presidente da BIC, Diogo Moeda, prevê ainda o desenvolvimento de uma incubadora de negócios bem como a certificação dessa futura incubadora.

Para a reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Judite do Nascimento, trata-se de uma parceria público-privada que vai permitir à Uni-CV transferir conhecimentos, mas também desenvolver a parte da inovação e das tecnologias e transformar-se numa universidade verdadeiramente empreendedora.

“O modelo de aliança público-privado que é uma das grandes metas desse projecto é para nós uma aprendizagem porque a Uni-CV sendo uma universidade pública e estando a desenvolver também modelo de financiamento que também permite a sua sustentabilidade quer também aprender com este processo e com esta parceira”, disse.

Judite do Nascimento explicou que a incubação que está a ser desenvolvida está muito concentrada no sector das pescas, dado que está enquadrado dentro do projecto Empreamar, financiado pela Cooperação Espanhola e desenvolvido em parceria com a universidade de Vigo.

Esse projecto, que visa essencialmente o aproveitamento dos recursos marinhos, conforme explicou iniciou-se pela criação de competências e capacidades não só para própria universidade, mas também para a transferência.

Foram realizadas várias formações, vários workshops, feiras, intervenções nas comunidades, e agora nesta segunda fase está a dar um passo maior que é a criação de uma incubadora dentro da Universidade.

“Queremos com a parceira da BIC e a Pró-empresa criar uma incubadora que venha permitir não só incubação, mas também a aceleração de empresas no sector das pescas. A ideia é trabalhar em todas as actividades que directamente e indirectamente tenham algo a ver com a economia marítima e que possam promover a ligação e transparência entre sectores”, disse.

Para o presidente da BIC, Diogo Moeda, essa parceria com a Uni-CV é “excelente” na perspectiva que permite à associação aproximar-se mais do seu público alvo.

“O objectivo da BIC é promover o ecossistema, promover o empreendedorismo e desenvolver as empresas, principalmente as start-ups, empresas com alto potencial de crescimento, que estão numa fase inicial e vemos as universidades como um grande local onde podemos identificar os promotores com alto potencial de crescimento e com ideais inovadoras”, sustentou.

O protocolo tem a duração de três anos e de entre outras as actividades a serem implementadas figuram cursos de curta duração em empreendedorismo e desenvolvimento de negócios, palestras, concursos, workshops, feiras, mesas redondas com o objectivo de incentivar a cultura empreendedora no seio académico.

Inforpress/fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.