De acordo com as informações veiculadas pela empresa, o veículo de perfuração Maersk Voyager vai ser usado para perfurar o poço mais profundo do mundo, que inclui os blocos 32 e 48 em Angola, e mais outro perto da Namíbia.

O projeto deverá começar em janeiro, terá uma duração de 240 dias e o valor total contratado foi de aproximadamente 46,3 milhões de dólares, cerca de 41,3 milhões de euros, de acordo com a imprensa especializada.

“Estamos muito satisfeitos por mais uma vez quebrar as barreiras em colaboração com a Total, aproveitando a nossa experiência mútua numa exploração excitante de projetos ao longo dos últimos anos”, comentou um diretor da Maersk Drilling, Morten Kelstrup.

“É ótimo voltar a Angola, onde fizemos uma série de operações de sucesso entre 2012 e 2016, e fazer uma campanha em mais de um país vai poder mostrar a nossa capacidade de rápida e suavemente movimentar as operações de uma jurisdição para outra”, acrescentou o responsável.

A Maersk já detinha o recorde da perfuração mais profunda, com o Raya 1, no Uruguai, que explorou petróleo a 3.400 metros de profundidade.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.