Gil Costa, que falava em conferência de imprensa para anunciar que está tudo pronto para o arranque do evento, de 13 a 16, em São Vicente, indicou ainda que outro destaque da edição 2019 é a procura dos visitantes profissionais, a cada ano em número “muito superior”, e oriundos, desta vez, de mais de dez países da Europa, da América do Sul, de África e da Ásia.

Ao todo, anunciou, na mostra de produtos e serviços estarão presentes 88 expositores, organizados em 180 stands, sendo a maioria deles empresas de direito cabo-verdiano (69%), seguidos de Portugal (29%) e Brasil (2%).

Gil Costa informou ainda que a organização investiu cerca de dez mil contos no evento, para além de outros investimentos dos expositores, que eleva para cerca de 20 mil contos o total do orçamento da FIC-2019.

“Montar esta feira, com este nível, só é possível graças ao envolvimento abnegado dos parceiros institucionais e comercias”, precisou a mesma fonte, para uma edição em que, ao longo de quatro dias, avançou, espera-se visitas diárias à volta de 3.000 pessoas, ou seja, declarou, um carecimento de 20% em relação à anterior edição.

Por outro lado, o presidente do conselho de administração da Feira Internacional de Cabo Verde confirmou que a edição de 2019 é a última feira que se realiza nas actuais instalações no espaço da FIC, na Laginha, que dará lugar a um investimento hoteleiro.

“A deslocalização será feita em duas etapas, numa primeira com a deslocalização dos escritórios temporariamente e, numa segunda, a passagem definitiva tão cedo esteja edificado o novo espaço”, concretizou, e que se localizará no Parque Industrial do Lazareto, identificado “há muito tempo”.

Uma das parceiras habituais da FIC são as duas câmaras de comércio do país e, este ano, segundo o secretário-geral da Câmara de Comércio do Barlavento, Adriano Cruz, a colaboração vai manter-se, estribada em três pilares.

O primeiro são as jornadas técnicas, que começam já na segunda-feira, 11, com um simpósio sobre as energias renováveis, com a vinda de uma missão alemã ligada às energias renováveis.

Às câmaras de comércio cabe ainda a organização de encontros de negócio e actividades de interesse específico para empresas estrangeiras, sobretudo aquelas que visitam o país pela primeira vez.

Assim, no dia da inauguração da feira decorrerá uma jornada técnica sobre acesso ao financiamento, com representação de intervenientes do ecossistema de financiamento recentemente criado em Cabo Verde, o segundo será dedicado ao tema “Transportes e conectividade inter-ilhas”, e o terceiro dia das actividades paralelas vai desenvolver-se à volta da questão da internacionalização da economia cabo-verdiana, com apresentação de uma entidade de certificação privada virada para a internacionalização.

Haverá ainda os habituais encontros de negócios, sendo a ideia “maximizar a participação das empresas nacionais”, visando parcerias técnicas, comerciais e importação de conhecimentos, uma gala alusiva à edição 2019 da FIC, com presença estimada de cerca de 200 participantes e ainda, no domingo, 17, a visita turística à ilha de Santo Antão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.