António Monteiro, que se encontrava no cais do Porto Grande, no início a tarde de hoje, disse que foi contactado por uns passageiros que o colocaram a par desta situação que permanece desde segunda-feira, data em que o navio da CV Interilhas deveria para São Nicolau, Sal, Boa Vista e Santiago, mas que não aconteceu, uma vez que a viagem fora antecipada para domingo, segundo os passageiros, “sem terem sido comunicados”.

Mas, duas datas foram estabelecidas, quarta-feira, que também não aconteceu, e agora, hoje, em que os passageiros foram informados que não haveria viagem quando já estavam a bordo do navio.

António Monteiro disse que talvez a embarcação esteja com alguma avaria já que conseguiu ver “cabos, tubos e macacos hidráulicos”, que mostram “algo de anormal”.

“Mas, isto não é o mais grave, o mais grave é a não comparência aqui a bordo dos responsáveis da companhia para dar alguma satisfação”, disse o líder partidário e deputado nacional, adiantando que estando os passageiros com tantas horas de espera “deveriam ser contemplados com alguma refeição quente ou alguma explicação, algo que não aconteceu”.

“Isso demonstra que o Governo tem que chamar a atenção dos responsáveis da companhia porque estamos a falar de pessoas, não estamos a falar de animais”, lançou, considerando uma “falta de respeito de todo o tamanho” e que mostra o “descalabro que o Governo do MpD conseguiu introduzir nos transportes marítimos em Cabo Verde”.

“Avarias acontecem, mas o que não pode acontecer é este desrespeito”, concretizou.

Os passageiros que recusavam sair do barco e do cais lamentavam não ter informações concretas do motivo do cancelamento da viagem, entre estes Genoveva Jesus, que veio de São Nicolau apenas para ver o filho e o neto, que estavam doentes.

“Na quarta-feira disseram que o navio não saia por causa do mau tempo, mas, hoje até agora não disseram nada”, criticou, lembrando que está a quase uma semana a perder dias de trabalho.

Henrique Soares, que por seu lado esperava viajar para Boa Vista, disse que desde segunda-feira a companhia está a “brincar” com as suas vidas, como no seu caso em que teria que estar no trabalho no dia 05 e por isso iria viajar no dia 04, mas a companhia antecipou a viagem para domingo “sem dar qualquer satisfação”.

“Ainda mais grave é que não aparece ninguém para dar a cara e resolver os nossos problemas”, salientou, adiantando que a questão não é o reembolso do dinheiro, mas sim quererem chegar ao destino.

Segundo a mesma fonte até pediu uma declaração para justificar as faltas, mas que só lhe foi dado com a intervenção Polícia.

Amílcar Almeida, também passageiro para São Nicolau, questionou quem irá se responsabilizar pelas despesas que têm tido com estadia, alimentação e transportes desde de segunda-feira nas “idas e vindas” para o porto.

A Inforpress tentou a todo custo contactar um dos responsáveis da CV Interilhas, mas na agência alegaram que apenas prestam um serviço à empresa.

Mesmo assim uma das funcionárias contactou o responsável a bordo do navio, mas este alegou que no momento se encontrava no almoço.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.