Pascoal Alves, encravado no interior do Porto Novo, onde a seca já fez deslocar, ao longo dos anos, a grande maioria da população, mas as famílias, pouco mais de uma dezena, que continuam a viver nesse povoado têm, ainda no decorrer deste mês, a possibilidade de dispor de luz eléctrica, produzida por kits solares.

Para essas famílias, trata-se de “uma prenda de Natal”, só possível graças ao financiamento, à volta de cinco mil contos, disponibilizado à associação local “Água no Deserto”, pelo programa das pequenas subvenções do Fundo Mundial do Ambiente (GEF), a cargo das Nações Unidas.

O projecto, que está a ser implementado em parceria com a câmara do Porto Novo, consiste na instalação de 13 kits solares individuais para a produção de energia, sendo 11 em residências e dois em instituições (escola e unidade de saúde), proporcionando, assim, luz eléctrica 24 horas/dia às famílias.

Pascoal Alves, cuja principal actividade é a pecuária, é já o oitavo povoado do Planalto Norte de Santo Antão que passa a abastecer-se de luz eléctrica, através das energias renováveis (fotovoltaica solar).

Um outro sonho dos poucos habitantes em Pascoal Alves, que continuam a resistir à seca, prende-se com o abastecimento de água, o qual pode estar, também, em vias de realização, graças ao projecto “Nó Crê Água”, para o Planalto Norte, já na fase de implementação e que poderá ficar concluído dentro de oito meses.

Trata-se de um projecto do Governo, co-financiado em 70 mil contos, pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Fundo Espanhol, que levará, até meados de 2020, água potável a todas as nove comunidades do Planalto Norte.

As famílias em Pascoal Alves, a enfrentarem uma situação de penúria de água, socorrem-se de um “poço” situado junto ao mar, situado a vários quilómetros de distância das casas, cuja água produzida é considerada de má qualidade, dada a elevada concentração de saís (água salobra).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.