O secretário permanente do SLTSA, Carlos Bartolomeu, falando à imprensa, na cidade da Ribeira Grande, denunciou aquilo que considera falta de condições de trabalho nesta empresa a nível de higiene se segurança, atraso salarial, perseguição aos trabalhadores e falta de dialogo com os mesmos operários.

Os trabalhadores que são deslocados para Tarrafal de Monte Trigo, para as obras de construção da estrada para essa localidade, a cargo desta empresa, são obrigados a exercer a sua actividade de segunda a sábado e, por vezes, aos domingos, em condições difíceis, segundo o sindicalista, que acusa a Spencer Construções e Imobiliária de “falta de respeito” para com os trabalhadores”.

Trabalham nesta empresa 23 operários filiados no SLTSA, informou Carlos Bartolomeu, que disse ter enviado já uma queixa à Direcção-Geral do Trabalho (DGT) a denunciar a violação dos direitos desses empregados e o “tratamento abusivo e discriminatório” a que têm sido alvo.

O secretário permanente do SLTSA voltou a “chamar atenção” da DGT e da Inspecção-Geral do Trabalho (IGT) para a existência de “muitos conflitos laborais” em Santo Antão, devido, a seu ver, à violação do código laboral cabo-verdiano.

Insiste, por isso, na necessidade de haver representações dessas instituições nesta ilha, em prol de uma maior fiscalização da legislação laboral.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.